“O Reino Unido defendeu as ações da administração Trump no Irã, dizendo que os Estados Unidos “têm o direito de se defender” contra a agressão iraniana e o destacamento da Marinha Real para o Golfo Pérsico para proteger os navios que arvoram a bandeira britânica”.

“O Secretário de Estado da Defesa, Ben Wallace, expressou apoio à decisão dos Estados Unidos de eliminar o comandante do Corpo da Guarda Revolucionária Islâmica, Qasem Soleimani, citando a violência cometida no Iraque pelas milícias apoiadas pelo Irã”.

Forças americanas atacadas por milícias apoiadas pelo Irã

“Durante os últimos meses, as forças dos EUA no Iraque, que estão baseadas no Iraque a convite do governo iraquiano, foram repetidamente atacadas por milícias apoiadas pelo Irã”, disse Wallace, em comentários relatados pelo The Telegraph.

O General Soleimani tem estado no centro do uso de procuradores para minar as nações soberanas vizinhas e atingir os inimigos do Irã. De acordo com o direito internacional, os Estados Unidos têm o direito de se defender contra aqueles que representam uma ameaça iminente aos seus cidadãos”, concluiu o Secretário da Defesa.

Irã apreendeu um petroleiro britânico em julho de 2019

Em resposta à escalada das tensões após a morte de Soleimani, o Reino Unido enviou a Marinha Real para o Estreito de Ormuz, para proteger os navios britânicos no Golfo Pérsico de ataques de retaliação do Irã.

Navios de guerra da Marinha Real Britânica não patrulham o estreito desde novembro, quando a marinha estava protegendo navios britânicos depois que o Irã apreendeu um petroleiro britânico, o Stena Impero, em julho do ano passado. O navio foi finalmente lançado pelo Irã em setembro.

General Soleimani no centro das operações anti Ocidente

O secretário de Relações Exteriores e da Commonwealth Dominic Raab, falando hoje à BBC, “Minha opinião é – sobre a avaliação operacional feita pelos americanos – é que há um direito de auto-defesa”, disse Raab.

A ação do General Soleimani de envolver proxies, milícias não apenas no Iraque, mas em toda a região, não apenas para desestabilizar esses países, mas para atacar os países ocidentais… Nessas circunstâncias, o direito de autodefesa aplica-se claramente”, acrescentou.

A França de Macron, que tem sido hostilizada por ataques terroristas, tomou uma posição errada, condenando a ação americana de autodefesa. E o PT também

Lamentamos mais esse erro (na política de esquerda) de Macron ao se curvar às injunções iranianas.

Andou bem o Itamaraty que, em nota serena, condenou o terrorismo internacional e apoiou o direito de autodefesa dos EUA.

Fonte: https://www.breitbart.com/europe/2020/01/05/britain-backs-trump-on-iran-deploys-royal-navy-to-persian-gulf/

Deixe uma resposta