UNESCO, 75 anos: agenda pró aborto e lgbt

0

Em uma mensagem de vídeo na sexta-feira, o Papa Francisco elogiou calorosamente a agência das Nações Unidas (UNESCO), dizendo que a agência era um “parceiro privilegiado da Santa Sé no serviço comum pela paz e pela solidariedade entre os povos”.

A Conferência dos Bispos Católicos de Gana protestou contra a implementação da Educação Sexual Abrangente da UNESCO (CSE) nas escolas do país, dizendo que era “uma maneira sutil de apresentar essa coisa de gays e lésbicas aos nossos filhos”.

Mas, a UNESCO tem uma agenda anti família persistente e pressionante junto às Nações. Elogiar os aspectos positivos e culturais da UNESCO não eximem de censurar energicamente sua transgressão aos Mandamentos da Lei de Deus em sua agenda pró aborto e pró agenda lgbt. Como São João Batista, ante Herodes: “não te é lícito”.

Histórico da UNESCO pró aborto e agenda lgbt

Comenta LifeSiteNews: “Como organização, a UNESCO tem um histórico de ser firmemente pró-aborto, pró-LGBT e pró-transgênero.”

Em 2010, a UNESCO emitiu diretrizes dizendo “nunca é cedo demais para começar a falar com crianças sobre questões sexuais” e que crianças de apenas cinco anos devem ser ensinadas sobre masturbação.

Em 2014, a UNESCO disse que uma parte importante da educação das crianças era ensiná-las a saber como e onde fazer o aborto e a ser tolerantes com o comportamento homossexual. “Medidas políticas específicas” são necessárias para garantir que as crianças “aprendam na escola a importância da tolerância”, afirmou a UNESCO.

Então, em 2016, a UNESCO lançou um relatório de 60 páginas dizendo que as crianças deveriam receber “informações precisas e sem julgamento sobre orientação sexual e identidade / expressão de gênero”. O relatório pede que isso seja feito “por meio de campanhas de informação e parcerias com a sociedade civil e a comunidade escolar em geral”.

Doutrinando crianças na fornicação e ideologia trans

Continua a notícia: “Dois anos depois, novamente, a UNESCO publicou a “Orientação Técnica Internacional sobre Educação em Sexualidade”, da qual pe. Hodges descreveu como tendo “U.N. promoção do aborto um passo adiante, doutrinando crianças em propaganda pró-aborto, pró-homossexualidade, pró-transgenerismo e pró-fornicação a partir dos cinco anos. ””

A agenda radicalmente pró-LGBT incluía ensinar crianças de cinco anos a “descrever” famílias compostas por lésbicas ou homossexuais e a “expressar respeito” pela criação homossexual.

Reações contra a orientação da UNESCO

O bispo Thomas Joseph Tobin, autoridade eclesiástica da Providência, em Rhode Island (EUA), destacou nas redes sociais que a Igreja precisa de um João Batista para enfrentar o Herodes dos nossos dias. https://ipco.org.br/a-igreja-precisa-de-um-joao-batista-para-enfrentar-herodes/

Mais recentemente, a Conferência dos Bispos Católicos de Gana protestou contra a implementação da Educação Sexual Abrangente da UNESCO (CSE) nas escolas do país, dizendo que era “uma maneira sutil de apresentar essa coisa de gays e lésbicas aos nossos filhos”.

A organização internacional Stop CSE faz campanha contra os programas de CSE (UNESCO), dizendo que eles “procuram mudar a sociedade mudando as normas sexuais e de gênero e ensinando os jovens a defender seus direitos sexuais. A maioria dos programas CSE promove a aceitação de diversas identidades e orientações sexuais e tem um foco quase obsessivo no prazer sexual, instruindo crianças e jovens desde a mais tenra idade sobre como obter prazer sexual de várias maneiras. ”

A Stop CSE também observou como essa educação foi promovida na ONU por proeminente provedor de aborto, International Planned Parenthood.

O presidente Donald Trump retirou os Estados Unidos da UNESCO em 2017.

***

Ainda há tempo para a Sala de Imprensa da Santa Sé fazer os devidos esclarecimentos mostrando que a mensagem do Papa Francisco não endossa a agenda pró aborto e políticas trans da UNESCO. Ou será que a política de inclusão e aproximação nos impedirão de afirmar os direitos da Igreja e de Nosso Senhor?

Fonte: https://www.lifesitenews.com/news/pope-praises-pro-abortion-un-agency-highlights-privileged-relationship-with-church/?utm_source=top_news&utm_campaign=usa

Deixe uma resposta