“Às vezes o uso da violência é legítimo, de acordo com o catecismo.

“Admiramos e devemos apoiar esses jovens (Hong Kong), porque as autoridades estão mostrando violência extrema que está fora de qualquer proporção com a deles, “, disse o cardeal Joseph Zen, exilado em Hong Kong.

“Aos 87 anos de idade, sua construção tornou-se frágil, mas Joseph Zen ferveu em seu pequeno escritório situado na entrada da grande varanda italiana no estilo dos anos 1900, na residência dos salesianos, em uma varanda com vista para a majestosa baía. Abaixo, as ruas aninhadas entre os arranha-céus estão em tumulto, tocando a revolta contra a China vermelha e desafiando a polícia de choque com coquetéis Molotov”.

* * *

Como se sabe, os protestos — sobretudo de jovens — em Hong Kong nada têm a ver com as contestações hippies, em nada se assemelham aos protestos no Chile (que até incendeiam e profanam igrejas).

Os protestos em Hong Kong são uma inconformidade com o regime comunista chinês que viola liberdades asseguradas pelo Tratado com o Reino Unido, em 1997. O governo de Carrie Lam, uma lacaia de Xi Jinping, quis impor a Extradição de hongkongueses para serem julgados pelo regime comunista chinês.

Também pedem os hongcongueses eleições diretas, judiciário livre.

Em boa hora o Cardeal Zen faz esse pronunciamento, sobretudo pelo silêncio do Vaticano, o qual, em 2018, fez um compromisso histórico, reconhecendo sete bispos da Igreja Patriótica oficial e convidando os católicos clandestinos a se submeterem a essa falsa igreja controlada pelo PC chinês.

Matéria para reflexão dos brasileiros nesses tempos em que Xi Jinping vem estender a mão à procura de nossas riquezas e nossos alimentos. Saibamos manter nossa independência, nossa soberania, nossa altivez e impor nossas condições.

Fonte: https://www.en24.news/2019/12/cardinal-zen-gets-angry-at-vaticans-betrayal.html

Deixe uma resposta