“Em 1º de julho, 53 países (incluindo a China) assinaram uma resolução apresentada por Cuba no Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas em Genebra, elogiando a China pela aprovação da Lei de Segurança Nacional de Hong Kong.”

Cuba falar em Direitos Humanos?

China, Antígua e Barbuda, Bahrain, Bielorrússia, Burundi, Camboja, Camarões, República Centro-Africana, Comores, Congo-Brazzaville, Cuba, Djibuti, Dominica, Egito, Guiné Equatorial, Eritreia, Gabão, Gâmbia, Guiné, Guiné-Bissau, Irã , Iraque, Kuwait, Laos, Líbano, Lesoto, Mauritânia, Marrocos, Moçambique, Mianmar, Nepal, Nicarágua, Níger, Coréia do Norte, Omã, Paquistão, Palestina, Papua Nova Guiné, Arábia Saudita, Serra Leoa, Somália, Sudão do Sul, Sri Lanka Lanka, Sudão, Suriname, Síria, Tajiquistão, Togo, Emirados Árabes Unidos, Venezuela, Iêmen, Zâmbia e Zimbábue.”

***

Incluir, no Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, uma resolução apoiando a Lei de Segurança Nacional promulgada pelo PCC, arrochando ainda mais a liberdade em Hong Kong é um escárnio. Claro, Cuba, aliada do PCC promoveu isso.

***

Apoio da Rússia de Putin

A Rússia não assinou, mas seu Representante Permanente no Escritório das Nações Unidas e outras Organizações Internacionais em Genebra emitiu em 30 de junho uma declaração separada denunciando a “interferência externa nos assuntos domésticos da China”.

Lembramos, a Lei de Segurança Nacional fere o Acordo assinado entre o Reino Unido e Pequim em 1985. Esses são os comunistas e seus amigos como Cuba e Venezuela.

Reino Unido apresenta Declaração criticando o PCC

“Os seguintes países assinaram uma declaração apresentada no mesmo Conselho de Direitos Humanos pelo Reino Unido, criticando fortemente a China por violações dos direitos humanos e do direito internacional em Hong Kong e Xinjiang:

“Austrália, Áustria, Bélgica, Belize, Canadá, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Islândia, Irlanda, Alemanha, Japão, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Ilhas Marshall, Holanda, Nova Zelândia, Noruega, Palau, Eslováquia, Eslovênia, Suécia, Suíça e Reino Unido

“Os Estados Unidos não assinaram por causa de seus problemas com o Conselho de Direitos Humanos, mas também condenaram veementemente as irregularidades da China em Hong Kong e Xinjiang.”

***

A notícia não faz referência à posição do Brasil. A constante violação dos direitos fundamentais da pessoa humana e sobretudo a negação da liberdade religiosa são práticas habituais do PCCh.

Fonte: https://bitterwinter.org/the-axis-of-shame-july-2020-the-countries-that-supported-china-on-hong-kong/

Deixe uma resposta