Democrata (esquerda) amplia aborto no Colorado

0

Um dos pontos mais importantes para distinguir entre direita e esquerda é, sem dúvida, a posição face ao aborto. Os conservadores são pró Vida. A Lei dos Batimentos Cardíacos, no Texas, já foi uma derrota da esquerda. Espera-se que a Suprema Corte reverta a decisão que permitiu o aborto legal nos EUA, em 1972.

Governador democrata do Colorado no caminho de Herodes?

DENVER (LifeSiteNews) – O governador democrata Jared Polis, do Colorado, assinou um projeto de lei na segunda-feira que permite que bebês sejam mortos no útero até o momento do nascimento.

O receio dos democratas de um revés, no aborto, por parte da Suprema Corte

“Não importa o que a Suprema Corte faça no futuro, as pessoas no Colorado poderão escolher quando e se terão filhos”, disse o governador Polis na cerimônia de assinatura no centro de Denver, referindo-se à possível reversão de Roe v. Wade, decisão que introduziu o aborto nos EUA, em 1972.

“Queremos garantir que nosso estado seja um lugar onde todos possam viver (acrescentamos, exceto os nascituros), trabalhar, prosperar e criar uma família em seus próprios termos”, acrescentou o político pró-aborto.

O próprio projeto de lei afirma que será ilegal no Colorado “negar, restringir, interferir ou discriminar o direito fundamental de um indivíduo de usar ou recusar a contracepção ou de continuar uma gravidez e dar à luz ou fazer um aborto”, acrescentando que “ um óvulo fertilizado, embrião ou feto não tem direitos independentes ou derivados sob as leis do estado”.

Aborto de 9 meses!

“Além da guerra total contra as crianças no útero, porque define o aborto como um direito, a lei também pode ser usada para tentar forçar profissionais médicos a cometer ou participar de abortos. Não há proteções de consciência na lei”, reagiu a defensora pró-vida Lila Rose nas redes sociais.

“Aborto aos 9 meses?!” acrescentou o músico Flint Bedrock, “Isso é assassinato!”

A assinatura do projeto de lei vem logo antes da decisão da Suprema Corte dos EUA sobre Dobbs v. Jackson Women’s Health Organization esperada para junho, que os pró-vida esperam poder reverter o precedente Roe v. Wade de 1973 que legalizou o aborto em todo o país.

Aborto, Vida sinal de contradição

Enquanto muitos estados republicanos como Wyoming, Arizona e Flórida estão procurando proibir ou limitar o aborto após uma possível reversão de Roe vs. Wade, os democratas também entraram na ofensiva, buscando expandir radicalmente o aborto.

O AB 2223, por exemplo, um horrível projeto de lei pró-aborto proposto na Califórnia em fevereiro, poderia legalizar o infanticídio por semanas, meses ou até anos após o nascimento de uma criança, disse um advogado da Thomas More Society ao LifeSiteNews.

De acordo com a linguagem da AB 2223, uma “pessoa não estará sujeita a responsabilidade civil ou criminal ou penalidade, ou de outra forma privada de seus direitos, com base em suas ações ou omissões em relação à sua gravidez ou resultado real, potencial ou alegado da gravidez, incluindo aborto espontâneo , natimorto, ou aborto, ou morte perinatal.”

De acordo com o conselheiro especial da Thomas More Society, Charles LiMandri, a proposta “expõe a falsa narrativa que o lobby do aborto vem divulgando há mais de meio século: que ninguém sabe quando a vida começa e os bebês no útero de suas mães não sentem dor. Nenhuma pessoa sã pode negar que um recém-nascido é um ser humano totalmente desenvolvido, capaz de sentir dor intensa. No entanto, ao incluir ‘perinatal’ em suas disposições, [o projeto de lei] autorizaria o assassinato brutal desses bebês mesmo depois de nascerem”, informa a notícia de LifeSiteNews.

***

As esquerdas no Brasil, sempre favoráveis ao aborto. Os conservadores se batem em defesa da Vida.

Continuemos a luta pela família na Terra de Santa Cruz. Pelo menos, podemos ir revertendo o aborto passo a passo nas leis que o falso centrão e a esquerda aprovaram no Brasil.

O aborto é pecado gravíssimo.

Fonte: https://www.lifesitenews.com/news/colorado-legalizes-abortion-until-moment-of-birth/

Deixe uma resposta