A Assembléia Nacional do Equador rejeitou a despenalização do aborto para vítimas de violação, incesto, estupro.

A votação deu-se na noite de 17 de setembro tendo 65 votos a favor e 59 contrários.

Fica, assim, o exemplo do Equador em defesa da família e da Lei de Deus que proíbe matar, sobretudo os indefesos.

A regeneração de uma sociedade se faz pregando os Dez Mandamentos e a Moral Católica. Somente assim é possível edificar o novo Brasil.

Em São Paulo, 22 de setembro a Marcha pela Vida contou com a participação de numeroso público e voluntários do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira.

Por quê razão a midia não registra a derrota do aborto no Equador? Desconfie.

 

Fonte: https://www.nodal.am/2019/09/ecuador-la-asamblea-nacional-rechaza-la-despenalizacion-del-aborto-en-casos-de-violacion/

Deixe uma resposta