“Mães pela liberdade” de protegerem seus filhos nas escolas

0

Duas mães da Flórida, Tina Descovich de Bevard County e Tiffany Justice de Indian River County, começaram o Moms for Liberty em janeiro de 2021. Apenas 11 meses depois, o movimento tem 160 capítulos e 70.000 membros em 33 estados.

No Brasil, vemos governadores e prefeitos tentando impor a ideologia de gênero ou outras aberrações anticientíficas nas escolas. Reações de pais de família têm obtido do legislativo vitórias importantes em defesa da família. https://ipco.org.br/governador-zema-veta-ampliacao-da-ideologia-de-genero/

Exemplos de abusos em escolas

O Moms for Liberty ouviu falar de uma escola da Flórida que contratou um empreiteiro terceirizado para ensinar as crianças sobre raça. Trata-se da Teoria Racial Crítica uma arma da esquerda para estabelecer a luta de raças, inspiração marxista. https://ipco.org.br/mais-uma-derrota-da-esquerda-nos-eua-tennessee-proibe-a-teoria-racial-critica/

Havia uma escola da Carolina do Sul que pedia aos alunos brancos que examinassem seu privilégio branco, privilégio masculino, e ensinava que todo branco é opressor.

Havia uma escola em Ohio que deu a alunos do ensino médio um livro de instruções que incluía instruções para “Escreva uma história de sexo que você nunca compartilharia com sua mãe. Em seguida, reescreva como você diria a sua mãe. ”

Havia uma escola da Flórida que permitia que as crianças declarassem que eram transgêneros na escola e fossem tratadas como um gênero diferente, mas não informavam os pais sobre o pedido do aluno, potencialmente permitindo que o aluno vivesse uma vida dupla em casa e na escola.

Havia uma escola do Tennessee que tinha livros emocionais e gráficos para alunos da quarta série descrevendo o aborto de um bebê e, para a segunda série, um livro que retratava o sofrimento de crianças migrantes, enquanto colocava a culpa nas crianças brancas…

***

“Colocamos muita confiança no sistema escolar e não percebemos quem estava tomando todas as decisões”.

“Queremos ensinar uma história precisa e verdadeira que seja apropriada para a idade e não seja racista. Em outras palavras, não dividir as crianças em uma idade tão jovem por raça e não colocar a culpa nas crianças de hoje por ações do passado ”, comenta Tina Descovich.

Moms for Liberty pretende ter mais de 3.000 capítulos, um em cada condado dos EUA, e um membro do Moms for Liberty em todas as reuniões do conselho escolar no país de agora até o final dos tempos, ou seja, 13.000 distritos escolares.

“Você não está sozinho em suas preocupações com a educação de seu filho e é importante que se envolva e fale em nome de seu filho”, disse Descovich. “Porque se você não fizer isso, outra pessoa o fará.”

***


Esse excelente exemplo de mães norteamericanas em defesa de seus filhos, em defesa do Pátrio Poder, deve ser imitada nas Nações livres. Lamentamos que grande parte do Clero não tome essa bandeira em defesa da Moral. Temos tido exemplos corajosos de sacerdotes que se levantam contra a impostura da ideologia de gênero. Essa batalha precisa envolver um contingente muito maior de clérigos.

É hora dos pais brasileiros se levantarem em defesa de seus filhos!

Fonte: https://www.theepochtimes.com/mkt_morningbrief/moms-for-liberty-stirs-action-in-response-to-controversial-school-curricula_4125749.html?utm_source=morningbriefnoe&utm_medium=email&utm_campaign=mb-2021-11-28&mktids=0449f116506200f5b2546d0231069968&est=YxfA3PD2tSMCvFmipO5lA6lZFaud6MTZy7%2FiAYuWpOQ29uVos2pAT1EYCb6o7zY%3D

Deixe uma resposta