Nossos leitores se lembram da punição que Dr Li Wenliang recebeu por alertar seus colegas médicos sobre os primeiros pacientes com coronavírus: um surto de “pneumonia desconhecida” nas redes sociais chinesas em dezembro de 2019.

Ao todo, 8 médicos tentaram fazer vingar essa denúncia quando ainda havia tempo de evitar a epidemia que se transformou em pandemia. https://ipco.org.br/china-silenciou-mais-um-medico-que-denunciou-o-coronavirus-e-nao-faz-o-mea-culpa/

Dr. Li faleceu, vítima ele mesmo, do coronavírus chinês. O que provocou uma onda de descontentamento tão grande que o PCC se viu obrigado a determinar investigações sobre a morte desse oftalmologista. https://ipco.org.br/coronavirus-china-nyt-publica-entrevista-de-dr-li-wenliang-fui-intimado-a-declarar-me-culpado/

As conclusões isentam o PCC e colocam a culpa em modestos policiais

Notícia de TheEpochTimes: “Os internautas chineses estão fervendo de raiva depois que as autoridades chinesas anunciaram os resultados de uma investigação sobre o caso do médico denunciante Li Wenliang”.

“No mesmo dia em que Li morreu, a Comissão Nacional de Supervisão da China, um órgão anticorrupção do Partido, anunciou que enviaria uma equipe de investigação para Wuhan, para conduzir uma “investigação completa” sobre como as autoridades trataram Li”.

“O resultado da investigação foi anunciado em 19 de março. De acordo com a mídia estatal chinesa Xinhua, a equipe de investigação disse que era “inapropriado” que a delegacia de Polícia de Zhongnan Road tivesse (forçado) a assinar a “declaração de confissão” e o procedimento de aplicação da lei da delegacia era “irregular”.

“Poucas horas depois que a Xinhua (estatal chinesa) tornou públicas as conclusões da investigação, o departamento de segurança pública de Wuhan emitiu dois avisos em sua conta oficial do Weibo.

“Em seu primeiro post online, o departamento de segurança pública anunciou que retirou a “declaração de confissão” e emitiu um “pedido de desculpas solene” à família de Li”.

No segundo post, foi anunciado que dois policiais da delegacia de Zhongnan Road tinham sido punidos. Yang Li, vice-chefe da delegacia, recebeu um “demérito administrativo” por abandono do dever.  O oficial Hu Guifang recebeu uma “advertência administrativa” por “aplicação irregular da lei”.

Esse método já é conhecido: salvar o PCCh e punir policiais que cumprem ordens

Não faltou novamente a onda de protestos na midia social. “Muitos internautas chineses foram à conta do Weibo para expressar sua raiva e frustração com a decisão de punir Yang e Hu. Muitos disseram que Hu estava apenas seguindo ordens e ele estava sendo punido como bode expiatório”.

“Um internauta da megacidade chinesa de Chongqing escreveu: “Esses dois policiais devem ser os responsáveis? E seus superiores que deram a ordem [para silenciar Li]?””

“Outro internauta de Xangai escreveu: “Funcionários corruptos passam a culpa para policiais de nível popular. Isso é corrupção de verdade.””

“Alguns internautas também expressaram que estavam insatisfeitos com o resultado da investigação”.

Um internauta da cidade de Tianjin escreveu: “Dr. Li, não estamos satisfeitos com os resultados da investigação. Mas não há nada que possamos fazer. Há muito esperávamos esse resultado.”

  • * * *
  • Com internet super policiada a censura entrou em ação: “as autoridades chinesas começaram a censurar a discussão online sobre o resultado da investigação, com muitos comentários online sendo excluídos”.
  • * * *
  • E ainda temos político, no Brasil, defendendo a China de Xi Jinping: eles se “esquecem” de que não há pecado que permaneça oculto diante de Deus.
  • E que a Vox Populi já intuiu que a “estrela” de Pequim está em ocaso … como também estão em ocaso seus aliados Petistas (e alguns falsos centristas) no Brasil.
  • Fonte: https://www.theepochtimes.com/chinese-netizens-unhappy-at-authorities-investigation-into-what-happened-to-whistleblower-doctor_3279510.html

Deixe uma resposta