Os projetos do imperialismo-ditatorial do PCCh são conhecidos: em poucas décadas ter o controle mundial. Mas, um país sem agropecuária, sem riquezas naturais, cujo parque industrial é mantido à custa de um trabalho análogo ao de escravo … tem, realmente, pés de barro.

No Brasil, o governador Doria e os petistas são defensores de uma intromissão cada vez maior da China em nosso País. https://ipco.org.br/o-novo-credo-do-governador-joao-doria-confio-em-xi-jinping/

Feitiço contra o feiticeiro

Mas a pandemia do coronvírus voltou-se contra o PCC: a desconfiança sadia varre o Mundo Livre e abala os projetos ditatoriais de Xi Jinping.

A Austrália toma outra iniciativa para desvincular-se das garras chinesas:

“Na semana passada, duas empresas australianas de mineração de terras raras avançaram em projetos-chave que marcam o progresso em direção ao objetivo do país de separar suas cadeias de suprimento de terras raras do controle chinês.

Acordo Austrália-EUA sobre minerais críticos para alta tecnologia

“Em novembro do ano passado, o governo australiano sinalizou sua intenção de reforçar a segurança de ambas as nações, assinando um acordo com os Estados Unidos para começar a trocar informações sobre minerais críticos e estabelecer cadeias de suprimentos. Desde então, uma enxurrada de novos projetos começou ou foi acelerada pelo governo.

“Isso acontece no contexto do controle estimado do Partido Comunista Chinês (PCC) de quase 63% da produção global de terras raras. Os minerais de terras raras são essenciais para a fabricação de produtos de alta tecnologia, incluindo cabos de fibra ótica, ímãs, baterias de lítio e equipamento militar.”

Acrescentamos, o Mundo Livre acorda. A chamada nova Rota da Seda não é senão uma longa teia de aço para enforcar as potências ocidentais.

Projeto Hastings: de minas a ímãs

“Em 17 de junho, a Hastings Technology Metals, com sede em Perth, recebeu aprovação do governo para a construção de seu Projeto Yangibana Rare Earths na Austrália Ocidental (WA), sujeito a condições ambientais satisfatórias. A planta processará os minerais de terras raras neodímio e praseodímio.”

“Ambos os minerais são componentes vitais na fabricação de ímãs permanentes usados ​​em turbinas eólicas, robótica e veículos elétricos.”

“Hastings pretende ser o próximo “produtor significativo” de minerais fora da China”, (…) será uma grande fornecedora para a alemã Schaeffler Technologies AG pelos próximos 10 anos.”

***

Como se vê importante iniciativa da Austrália em desvincular-se das garras chinesas, abrir uma via internacional para o Mundo Livre e desbancar os projetos ditatoriais do PCC para controlar o mundo.

Epoch Times PhotoA InfinityLithium espera capitalizar o esforço da União Europeia para desenvolver sua indústria de carros elétricos e pressionar para estabelecer uma “cadeia de valor estratégico” para o lítio.

Entra aqui o papel importante da Alemanha — atualmente muito favorecedora da China — para encaminhar os esforços do Mundo Livre fora das garras do PCC.

O nosso Brasil, que se livrou das garras do petismo e do falso Centrão, também precisa resguardar-se das alianças com o PCC que afinal só cumpre aquilo que favorece os interesses comunistas. Veja-se agora a Lei de Segurança Nacional a ser imposta a Hong Kong, contrariando os Acordos com o Reino Unido em 1997.

Acreditar na sinceridade da China de Xi Jinping é coisa da esquerda ou do falso Centrão.

Fonte: https://www.theepochtimes.com/new-rare-earth-projects-help-australia-decouple-from-china-supply-reliance_3398181.html

Deixe uma resposta