Por mais que maquinem o PCC e a OMS, nessa pandemia do coronavírus, tão bem se aplicam aqui (a esta conjuração) as palavras de Nosso Senhor: “Nada há oculto que não venha a descobrir-se, e nada há escondido que não venha a saber-se. 3 Por isso as coisas que dissestes nas trevas, serão ouvidas às claras, e o que falastes ao ouvido no gabinete, será apregoado sobre os telhados.” (Lc. 12-2,3).
E o Divino Mestre definiu: “Guardai-vos do fermento dos fariseus, que é a hipocrisia.”
Vêm à tona as manobras do PCC com a OMS … desde 2007
Em documentado artigo, bitterwinter historia as estreitas relações do PCC com a OMS desde 2007: “A China reagiu oportunamente (às denúncias da origem da SARS e tráfico de órgãos) e reuniu uma coalizão de países que em 2007 elegeram uma oficial chinesa, Margaret Chan, como a nova secretária geral da OMS. Ela foi reeleita em 2012 para um segundo mandato de cinco anos. Ela torpedeou efetivamente qualquer tentativa de fazer a OMS investigar a questão da colheita de órgãos ou a responsabilidade da China pela SARS.”
Também sonegou informações sobre a SARS e tráfico de órgãos“Em 2002, a SARS atingiu o mundo e, muito antes da atual epidemia de COVID-19, o PCCh foi acusado de ter adiado a resposta mundial a um vírus mortal devido à sua relutância em admitir que ele era originário da China.”

“Em 2006, as primeiras alegações de que o PCCh estava colhendo órgãos de prisioneiros de consciência do Falun Gong foram publicadas pela grande mídia internacional. O ex-parlamentar canadense David Kilgour e o advogado de direitos humanos David Matas formaram a primeira comissão investigando as questões.

“De repente, a imagem (midiática, acrescentamos) da China foi manchada por duas acusações contra seu sistema de saúde: que havia colocado o mundo em risco por não compartilhar informações sobre a SARS e que estava avançando em sua indústria de transplantes, colhendo órgãos de prisioneiros de consciência. Nas duas questões, o papel da OMS foi crucial e potencialmente catastrófico para a China.”

Acrescentamos, porque o conluio veio à luz do dia, conforme previu Nosso Senhor: “Nada há oculto que não venha a descobrir-se.”

Esse é o grande fator positivo: o conluio veio à luz do dia e as Nações Livres começam a acordar. https://ipco.org.br/116-paises-pedem-investigacao-coronavirus-na-china-oms-e-pequim-no-banco-dos-reus/

O novo conluio no Coronavírus: adiar a declaração de pandemia

Ainda bitterwinter: “Em 12 de maio, a Newsweek anunciou que havia visto um relatório da CIA alegando que a China havia convencido a Organização Mundial da Saúde (OMS) em janeiro a adiar o alarme do COVID-19, dando a Pequim tempo para estocar suprimentos médicos comprados em todo o mundo. Antes de a OMS declarar uma emergência de saúde, em 30 de janeiro, a China havia importado do exterior, entre 24 e 29 de janeiro, mais de dois bilhões de máscaras.”

A cifra vem da Administração Geral das Alfândegas da China, e o atraso da OMS permitiu que o governo de Xi Jinping emergisse como força controladora no crucial mercado internacional de máscaras, ditando seus preços e distinguindo entre amigos e inimigos em uma “diplomacia de máscara” que muitas vezes representava chantagear.”

Também a exclusão de Taiwan como observadora na OMS

“A posição da OMS em Taiwan emergiu como particularmente crítica. Em 31 de dezembro, Taiwan informou a OMS da presença em Wuhan de uma pneumonia letal causada por um vírus do tipo SARS. As autoridades de Taiwan agiram imediatamente sobre essas informações.

“Na noite do mesmo dia 31 de dezembro, começaram (Taiwan) a verificar a saúde dos visitantes vindos de Wuhan, o que salvou Taiwan das piores conseqüências do vírus. A OMS, no entanto, ignorou as informações de Taiwan por nenhuma outra razão senão que elas vieram de Taiwan.”

***

O artigo prossegue mostrando como a OMS — através de sua Associação Mundial da Saúde —  excluiu Taiwan da condição de observadora. Razão? Taiwan elegeu uma presidente anticomunista, em 2016, Tsai Ing-wen.

É o caso de nossa Mídia estampar manchetes de “discriminação contra Taiwan”!

Não pára aqui a preferência do Dr Tedros pela China:  nomeou “o ex-ditador do Zimbábue, Robert Mugabe (1924–2019), como embaixador da Boa Vontade da OMS. O Zimbábue é um dos países do mundo com mais laços com a China, mas muitos consideram Mugabe um criminoso responsável por terríveis violações dos direitos humanos. O clamor internacional finalmente convenceu Ghebreyesus a retirar sua polêmica nomeação .”

***

Concluindo: Não somos derrotistas, não somos agentes do desânimo! 

Por uma ação da Providência Divina o que estava encoberto veio à luz!  Importantes Nações do Mundo Livre levantam seu clamor contra essa mal disfarçada ditadura da OMS nos últimos anos. E o PCC (recusamos identifica-lo com o povo chinês) é objeto de uma sadia desconfiança que percorre o Mundo.

Que venha logo a libertação da China das garras do PCC e a libertação da OMS das garras da esquerda e ela passe a ser um fator de saúde confiável, a nível mundial.

Muito bem fez o presidente Trump retirando 450 milhões de contribuição à OMS. E a China em quanto ajuda? 40 milhões!

***

Ao Brasil cabe um papel fundamental nas Américas por sua missão, sua extensão territorial, sua orientação a favor dos Valores Morais que são o fundamento das Nações cristãs e anticomunistas.

Fonte: https://bitterwinter.org/chinese-control-of-the-who-how-it-made-the-epidemics-worse/

 

Deixe uma resposta