China detém por 5 anos um advogado de direitos humanos. Expulsa jornalistas estrangeiros. Reprime manifestações populares e internet. Mais uma prova da feroz repressão da ditadura Xi Jinping.

Informa o NYT: “HONG KONG – Um advogado chinês de direitos humanos que aceitou casos sensíveis de jornalistas (que criticaram o regime), defensores da democracia e seguidores de movimentos espirituais proibidos (sic) foi libertado da prisão no domingo depois de ser mantido por quase cinco anos, disse sua esposa”.

Centenas de repressões: subversão do poder do Estado (sic)

“O advogado, Wang Quanzhang, foi o último de centenas de trabalhadores legais a enfrentar uma acusação após uma repressão generalizada da China em campo em 2015.

“Ele não foi julgado até dezembro de 2018, mais de três anos após sua detenção. Durante seu julgamento, que foi mantido em segredo, ele foi condenado a quatro anos e meio de prisão por “subversão do poder do Estado”, acusação usada para atingir pessoas que as autoridades acreditam estar tentando organizar desafios ao Partido Comunista no poder”.

Libertado? Ou mantido sob vigilância e custódia?

“Estamos esperando há quase cinco anos, vendo a aproximação deste dia”, disse ela em um vídeo publicado terça-feira. “Mas não posso vê-lo naquele primeiro momento, não posso trazê-lo de volta para casa da prisão. Quanto mais penso nisso, fico inquieta. ”

As organizações de direitos legais alertaram que, embora Wang tenha sido libertado da prisão, ele poderia permanecer longe de ser verdadeiramente livre e possivelmente sob alguma forma de prisão domiciliar ou vigilância rigorosa.

Concern, uma organização de direitos humanos de Hong Kong

“O Grupo Concern de Advogados de Direitos Humanos da China, uma organização de defesa de Hong Kong, disse que restrições semelhantes foram impostas a outros trabalhadores liberados.

“Jiang Tianyong, que ajudou a divulgar as acusações de tortura de outro advogado e ficou preso por dois anos por incitar a subversão (sic), permanece em prisão domiciliar na província de Henan após sua libertação no ano passado. Ele foi privado do acesso a cuidados médicos, disse o grupo.

“A organização divulgou uma carta assinada por uma dúzia de grupos legais e de direitos humanos pedindo ao governo chinês que não coloque Wang “sob qualquer forma de prisão domiciliar, vigilância ou qualquer outra forma de controle sobre sua liberdade pessoal”.

O PCC optou por julgamento a portas fechadas, sem divulgação

“Li ajudou a chamar a atenção para o caso de seu marido, mesmo quando o governo tentou escondê-lo da vista do público. Seu julgamento foi realizado a portas fechadas porque o tribunal de Tianjin, onde ele foi julgado, determinou que o caso envolvia segredos de estado.

“Em 2018, Li e familiares de outros advogados detidos tentaram marchar cerca de 100 quilômetros de Pequim para Tianjin, onde seu marido estava sendo mantido. Ela e as esposas de outros ativistas legais rasparam a cabeça para protestar contra o tratamento de seus maridos. No mandarim, a palavra “cabelo” soa como “lei”.

  • * * *

Ótima ocasião para o governador Doria e a Band (aliada à Midia chinesa) darem publicidade à mais essa repressão do governo chinês, liderado por Xi Jinping. https://ipco.org.br/acordo-band-e-china-vai-dando-seus-frutos-amargos-contra-a-soberania-nacional-eduardo-itamaraty-x-embaixador-chines/

Ou será que lhes interessa apenas fazer propaganda pró China e entregar o Brasil ao domínio de Xi Jinping?  https://ipco.org.br/o-novo-credo-do-governador-joao-doria-confio-em-xi-jinping/

A reação conservadora no Brasil, que se levantou a partir de 2015, precisa estar alerta contra os inimigos da Pátria, que andam mancomunados com o governo comunista chinês.

Fonte: https://www.nytimes.com/2020/04/05/world/asia/china-human-rights-lawyer.html

Deixe uma resposta