Suprema Corte desfere três golpes na esquerda: aborto, armas, síndrome de Down

0

Suprema Corte suspende decisões de tribunais inferiores que bloqueiam proibições de aborto por síndrome de Down, outras leis pró-vida.

As decisões incluem, também, o direito de portar armas (Segunda Emenda) e uma severa redução da autoridade do poder executivo federal para regular as emissões de carbono.


WASHINGTON, D.C. (LifeSiteNews) – A Suprema Corte dos EUA ordenou que tribunais inferiores anulem decisões que impedem a entrada em vigor de um punhado de leis pró-vida estaduais, à luz de sua decisão histórica na semana passada derrubando Roe v. Wade.

Na semana passada, o Tribunal decidiu por 5-4 em Dobbs v. Jackson Women’s Health Organization que era “hora de prestar atenção à Constituição e devolver a questão do aborto aos representantes eleitos do povo”. Ao invalidar o precedente de 1973 que forçou todos os 50 estados a permitir a maioria dos abortos, a decisão desencadeou a ativação ou restauração de leis em mais de 20 estados que efetivamente proibiam o aborto.

Proíbe aborto para bebês com síndrome de Down

A Reuters relata que o mais alto tribunal do país rejeitou decisões — de tribunais inferiores — “contra as leis do Arizona e do Arkansas que proíbem abortos solicitados com base em um diagnóstico de síndrome de Down fetal, bem como uma lei de Indiana que fortalece as regras de notificação dos pais para abortos de menores.”

“Esta é uma grande vitória para os nascituros diagnosticados com síndrome de Down”, disse David Lejeune, presidente da Fundação Jerome Lejeune.”

Porte de Armas e Emissões de Carbono

A decisão vem no final de uma sessão da Suprema Corte que outorga várias vitórias conservadoras importantes, que também incluem uma afirmação do direito da Segunda Emenda de portar armas e uma severa redução da autoridade do poder executivo federal para regular as emissões de carbono.

***


É uma prática comum em todo o mundo abortar crianças especificamente por causa de um diagnóstico de síndrome de Down; o pró-vida Charlotte Lozier Institute estima que o aborto reduz a comunidade Down nos Estados Unidos em 30% – apesar de pesquisas descobrirem que 99% das pessoas com síndrome de Down se descrevem como “felizes” e apenas 4% dos pais de crianças Down expressaram arrepender de tê-los.

***

Derrotas da esquerda que a Midia alinhada não comenta.

The Day After … “O dia seguinte” à revogação de Roe vs. Wade pela Suprema Corte americana nos traz importantes vitórias conservadoras. Deo gratias!

Fonte: https://www.lifesitenews.com/news/supreme-court-lifts-lower-court-ruling-blocking-down-syndrome-abortion-bans-other-pro-life-laws/?utm_source=featured&utm_campaign=usa

Deixe uma resposta