A Virgem esmaga a cabeça da serpente infernal

Leio no principal jornal colombiano, “El Tiempo”, edição de 24 de novembro, um artigo do jesuíta Alfonso Llano Escobar, S. J., que constitui um ataque direto à virgindade perpétua de Nossa Senhora, bem como defende a idéia esdrúxula e perfeitamente herética de que, enquanto a pessoa divina de Nosso Senhor teria se formado por ação do Espírito Santo, a pessoa humana viria do relacionamento de Nossa Senhora com São José.

Trata-se de uma heresia protuberante e descabelada, só possível de ser publicada num mundo tão conturbado como o atual, em que caminha a todo vapor o processo de autodemolição da Igreja anunciado por Paulo VI.

Diz o referido sacerdote que seu artigo visa “orientar os leitores” a respeito do último livro do Papa Bento XVI, que trata da infância de Jesus: “quero orientar os leitores sobre este livro do Papa, que oferece uma dificuldade especial, a virgindade de Maria”.

E, para dar essa “orientação”, ele não achou nada melhor do que negar a virgindade de Maria. Ademais, ele joga indecentemente com a palavra “irmãos”, utilizada no Evangelho de São Mateus, para afirmar que Jesus teve diversos irmãos e irmãs carnais, sem esclarecer que na Bíblia “irmãos” tem o sentido lato de parentes.

Os Padres da Igreja e os “irmãos de Jesus”

Eis o que ensinam os Padres da Igreja a esse respeito.

Santo Agostinho de Hipona (+ 430): “Então o Senhor tem irmãos? Será que Maria teve ainda outros filhos? Não, de modo algum!(…) Qual é, pois, a razão de ser da expressão ‘irmãos do Senhor’? Irmãos do senhor eram os parentes de Maria(…) Como se demonstra isso? Pela própria Escritura, que chama, por exemplo, Lot de irmão de Abraão(Gên. 13,8; 14,14) e ele era tio de Lot; e, todavia, chamava-se ambos de irmãos, unicamente por serem parentes. Também Labão era tio de Jacó , por ser irmão de Rebeca, esposa de Isaac. Lede a Escritura e vereis que tio e sobrinho tratavam-se de irmãos (Comentários sobre o Evangelho de Jo 10,2).

São João Damasceno (+ 749): Quando vocês ouvirem falar dos irmão do Senhor, pensem logo que se trata de algum parentesco que os une a Maria, sem imaginar ter ela tido outros filhos.” (Comentários sobre o Evangelho de João 28,3).

Santo Atanásio de Alexandria (+ 373) Como o corpo do Senhor foi colocado a sós no sepulcro, para que pudesse demonstrar sua ressurreição, talvez por motivo semelhante seu corpo proveio de Maria, como filho único, para que crêssemos em sua origem divina” (Da virgindade 2)”

Muitos outros pronunciamentos no mesmo sentido podem ser encontrados no site: http://www.bibliacatolica.com.br/blog/doutrina-catolica/os-irmaos-de-jesus-na-visao-dos-pais-da-igreja/

Ademais, o Catecismo da Igreja Católica é bem claro a esse respeito:

O aprofundamento da fé na maternidade virginal levou a Igreja a confessar a virgindade real e perpétua de Maria, mesmo no parto do Filho de Deus feito homem. Com efeito, o nascimento de Cristo não diminuiu, antes consagrou a integridade virginal da sua Mãe. A Liturgia da Igreja celebra Maria ‘Aeiparthenos’ como a ‘sempre Virgem’. A isso objeta-se, por vezes, que a Escritura menciona irmãos e irmãs de Jesus. A Igreja entendeu sempre estas passagens como não designando outros filhos da Virgem Maria. Com efeito, Tiago e José, ‘irmãos de Jesus’ (Mt 13, 55), são filhos duma Maria discípula de Cristo designada significativamente como ‘a outra Maria’ (Mt 28, 1). Trata-se de parentes próximos de Jesus, segundo uma expressão conhecida do Antigo Testamento. Jesus é o filho único de Maria”.(§§ 499 a 501)

O rejeitável artigo do Pe. Llano

Não podendo aqui reproduzir o artigo inteiro, transcrevo o trecho mais caracteristicamente herético, dando em seguida o link por meio do qual o leitor poderá chegar à peça total, se tiver estômago para isso. Note-se que ele faz um jogo de palavras no vazio entre uma espécie de gerar “teológico” e um gerar humano. De fazer inveja aos protestantes mais contrários à Igreja Católica!

“Maria gera o Filho de Deus virginalmente, no sentido teológico, sem a intervenção de José, tal como o relata Mateus 1,26, por obra e graça do Espírito Santo. De outro lado, como mãe do homem Jesus, igual a nós, o gera com um ato de amor com seu legítimo esposo, José, do qual teve quatro filhos varões e várias mulheres (Mt 13,53 y ss.)”. (http://www.eltiempo.com/opinion/columnistas/alfonsollanoescobar/la-infancia-de-jesus-alfonso-llano-escobar-s-j-columnista-el-tiempo_12399262-4

Santo Agostinho

Ante tais atentados à sã doutrina, de molde a produzir confusão e perplexidade entre os fiéis católicos, cabe uma ação dos superiores jesuítas e dos Bispos responsáveis. Se estivéssemos em dias normais, essas intervenções viriam sem a menor dúvida e logo. Mas hoje em dia…

Com isso tudo, a influência da Hierarquia da Igreja sobre os fiéis vai caindo vertiginosamente: “Como poderia essa influência não diminuir se os fiéis encontram na Igreja a nauseabunda ‘fumaça de Satanás’, a que se referiu pública e oficialmente Paulo VI?” (Plinio Corrêa de Oliveira, “Folha de S. Paulo”, 20-3-1978)”

Tomará a Santa Sé alguma medida pública, como público foi o artigo do Pe. Llano? É o que, para o bem da Igreja e salvação das almas, esperamos e desejamos de todo coração.

Seja como for, permanece firme nossa confiança naquela Virgem Pura que “sozinha esmagou todas as heresias”, como canta a liturgia.

 

33 COMENTÁRIOS

  1. @mariana
    Mariana, creio que Jesus foi gerado na virgem Maria por obra e graça do Espírito Santo, mas o que não podemos é adora-la como se fosse uma divindade. Ela foi humana assim como nós somos. Adoração exclusiva ao único e soberano Deus. Maria não foi virgem perpetuamente, até porque a própria bíblia fala em Marcos 6:3 que Jesus tinha irmãos carnais. Em 1 Timóteo 2:5 diz o seguinte: “Porque há um só Deus, e um só MEDIADOR entre Deus e os homens, JESUS CRISTO homem.”

     
  2. A questão é a seguinte: a Igreja tem dogmas, um deles é a virgindade perpétua de Maria. Se esse padre aí discorda, lamento, mas ele não é mais católico.

    Vamos rezar por ele, católicos…

     
  3. @Henry Townshend
    Filho de Maria, vc não tem o direito de falar o que Maria é ou deixou de ser. Pois assim vc se coloca na posição de Deus. Quem é vc pra falar da escrava do Senhor. Abaixo de Deus pai está Maria esposa fidelíssima do Espiríto Santo e mãe amável de Jesus Cristo a quem Ele mesmo ama, obedece, entre tantas outras coisas. Maria foi profetizada, já que sabe dos versículos da bíblia sabe de qual profeta me refiro. Pensa comigo, se vc tem uma maça para entregar a um príncipe, vc não vai querer entregar ela sem nada. simplesmente só. vc quer entregar a melhor. o que vc faz? entregue a rainha que sabe como o príncipe gosta de receber e a colocará em uma bandeja, com adornos e se duvidar até com mais frutas e falará que foi vc quem deu. Assim é Maria, tudo que vc pedir e entregar a Ela mesmo que esteja se sentindo “sujo” Ela oferece ao seu Filho até ‘1000x melhor’. Ela é a Rainha do Céu e da Terra e sabe como agradar ao Filho. Ela é a predileta de Deus, a quem desde criança mais o obedeceu, o louvou, o rendeu graças. Assim como vc disse não peço desculpas apenas reflita VOCÊ! Fique com Deus e Maria Santíssima :) Paz e Bem

     
  4. Como pode um padre Jesuíta dizer uma coisa tão diferente do que está na bíblia e nos ensinamentos da Igreja Católica Apostólica Romana??? E seus superiores??? o que dizem??? nada??? !!! Que Deus tenha misericórdia de todos nós! Amém!!!

     
  5. Cristo fundó solamente una Iglesia y ésta es la católica.
    +
    La “iglesia conciliar”, fundada por Pablo VI, es una “iglesia cristiana” como las “iglesias” cismáticas orientales o la “iglesia” “evangélica”-luterana alemana, o sea, una secta herética, de la cual toda persona debe apartarse, so pena de perder el alma, pues solamente en la verdadera Iglesia de Cristo hay salvación.

     
  6. Eu sempre achei que, infelizmente, nós temos 2 Igrejas. Uma que é autentica, única e verdadeira. Essa é a Igreja de NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. A outra, que me causa arrepios, é a igreja dos homens. Isto é, que certas pessoas, aí incluindo, por vezes, até religiosos gostariam que fôsse. Interpretam a BÍBLIA conforme melhor lhes aprouver. Quem duvidar, desta minha assertiva, que leia o artigo do Pe.Llano. Quem adora essa divisão inconcebível é o Satanás. Com certeza ele está batendo palmas de incentivo a esse padre e a outras pessoas que procedem dessa maneira. Ou seja, ANTI-CRISTÃ.í

     
  7. Não sei onde vcs estão procurando ref.´bíblica, mais na minha ta bem claro e nítido. Mt 13. 55 e 56 ta escrito q Jesus teve irmãos e irmãs; e eram filhos de José e Maria. Qnto ao comentário acima; não dou credito a Jeronimo e sim a Mateus; Marcos; Lucas; João. Não idolatrando estes apóstolos ; mas dando credito, por q eles estavam lá. O fato de Jesus ter falado a Maria q tomasse João como filho não quer dizer que ela é mãe de toda a humanidade é por que João não tinha mãe.Leia Jo. 2. 4. Irmãos eu respeito a fé todos, Maria foi uma mulher escolhida por Deus; assim como foi com Paulo; João; e muitos homens e mulheres de Deus, eles forão usados por Deus. Mais somente Jesus é mediador entre Deus e o homem. 1 Timóteo 2. 5

     
  8. @Lino
    Lino, concordo com você. O problema de todo dogma é que só quem o segue é o correto…
    Os demais que tem outros pontos de vista são hereges ou até bruxos.
    ——–
    Teodoro Alves, respeito sua opinião.

    Ao autor deste tópico e a todos:
    Meu argumento é o seguinte:
    No livro de S.João, ele narra que Jesus disse: “veio para os que eram seu, mas os seus não o receberam, mas todos os que o e receberam foram feitos filhos de Deus.” (Jo 1:11-12)

    Deus não é um ser humano, não precisa de uma esposa, na bíblia não se refere a Deus como um homem ou mulher e, só pelo fato dele ser nosso Pai, não quer dizer que precisamos de uma “mãe”, até mesmo porque, se Jesus tivesse escolhido Maria para ser nossa Mãe (coisa que não encontramos na bíblia, e a igreja católica sabe que isso é de responsabilidade dogmática), que diferença iria fazer posto que ela é uma mulher, humana, com limitações e imperfeições como qualquer outra?

    Lembra do que Jesus disse?
    “E disse-lhe alguém: Eis que estão ali fora tua mãe e teus irmãos, que querem falar-te.
    Jesus, porém, respondendo, disse ao que lhe falara: Quem é minha mãe? E quem são meus irmãos?
    E, estendendo a sua mão para os seus discípulos, disse: Eis aqui minha mãe e meus irmãos;
    Porque, qualquer que fizer a vontade de meu Pai que está nos céus, este é meu irmão, e irmã e mãe.”
    (Mateus 12:47-50)

    Para quê uma mãe humana e salva que aguarda o retorno do seu Senhor, se podemos ser “irmãos” e “mães” em níveis de intimidade do criador do universo?

    Que possamos permitir que a vontade e a verdade do Senhor venha penetrar em nossos corações, que muitas vezes se encontra duro feito pedra.

    Que possamos ter a humildade e a ousadia de questionar a Deus e não simplismente aceitar qualquer alimento ou doutrina.

    Abraços
    —-

     
  9. Para mim, o que tem importância fundamental é a mensagem de amor que Jesus trouxe para a humanidade. Pensando racionalmente, grande parte da crença católica, principalmente a dogmática, é absurdo. A crença nesses dogmas é alimentada apenas pela fé. Eu não tenho esta fé que tu tens, mas temos o mesmo criador. Portanto, não tens o direito, nem posse da verdade, para condenar-me. Tua condenação condena toda a humanicade não católica. Está certo isso? Tu não és Deus. Se queres questionar algum teólogo faça-o apenas com argumentos, sem condenações, nem ofensas pessoais. Qem pode te garantir que doma católico não seria resultado de sincero equívoco?

     
  10. @Henry Townshend
    Importa sim, porque se trata de conhecer a verdade. Jesus Cristo sim é o único e verdadeiro Salvador e a nós cumpre adorá-Lo como tal. Sem embargo, Ele mesmo deixou um caminho para nós seguirmos e no caminho pos como nossa Mãe – porque Ele quis – a Maria. No Gólgota ele indicou a João que aquela era a Mãe dele e aquele seu filho. Ora, ali estavam eles representando toda a humanidade. Ele nos deu a nós como filhos a Maria. Essa era a última vontade do nosso Salvador, como num testamento. E Maria sempre foi, é e será virgem por disposição da Santíssima Trindade ou não crês na dignidade de Jesus que não escolheria nascer de qualquer mulher.

     
  11. Queridos, se Maria não fosse mais virgem, e Jesus tivesse irmãos, como dizem que S.Tiago o é, isso faria alguma diferença no fim das contas?
    Jesus nasceu e cumpriu o que estava estabelecido desde a fundação do mundo: A morte na Cruz e isso basta (A graça dele nos basta).
    Jesus é Santo, ele é o Santo dos Santos. É bom relembrarmos das coisas boas que as pessoas fizeram, mas atribuir Santidade, Poder, e o pior, ONIPRESENÇA às pessoas “santas”?!?!
    Como Maria ou outro canonizado pode me ouvir, e ouvir a mil em um local, e mais 10.000 em outro, sendo que todos os que “dormem” aguarda a ressurreição? Eles não são, pelo menos enquanto não são transformados (1CO 15), ONIPRESENTES… Só Deus é onipresente, onisciente e onipotente, só Deus pode ouvir a tudo e a todos, porque dele, por Ele, para Ele são todas as coisas.
    Deus não precisa de um auxiliar humano e falho para levar a Ele o que nós falamos.
    Maria foi e é uma mulher especial, a mais agraciada entre todas as mulheres, uma mulher vigorosa e temente ao Senhor, mas não podemos confundí-la como uma dinvidade, alguém a qual temos que render louvores e graças, porque ela já cumpriu o papel dela aqui, deixem isso para os gregos antigos e sua Diana…
    Vamos focar na escencia, que é Jesus, o qual, na plenitude dos tempos, resistiu a tudo e provou o amor do Pai, salvando o mundo do pecado.
    Vamos deixar polêmicas inúteis de lado e adorar que realmente é digno.
    “Santo, Santo, Santo é o Deus poderoso, sua glória enche a terra!”

    Não peço desculpas, peço que pelo menos reflitam por alguns minutos e se quiserem, apenas descartem.

     
  12. Ao meu sentir, mesmo que Maria tenha tido outros filhos, ainda assim ela não deixaria de ser Santa! Ou será que não existe matrimônio santo?
    – Conheci muitos casais “antigos”, que tiveram matrimônio santo na presença de Deus!
    – Por isso, mesmo que Maria tenha gerado outros filhos, ainda assim, ela jamais poderá ser comparada a qualquer outra mulher no quesito santidade!

     
  13. @Ebrael Shaddai
    Ebrael, há um erro na origem de sua questão. As fontes de Revelação são duas (Tradição e Escritura). A Igreja a transmite, dentro de seu espírito. O grego, língua original, bem como o latim, podem não ser precisos. Eu não sou conhecedor de grego ou latim, mas acho que invertendo a ordem, fica mais fácil entender. A tradução comum, neste sentido, é muito mais clara: “E, sem que ele a tivesse conhecido, ela deu à luz o seu filho, que recebeu o nome de Jesus.” O “enquanto” “não conhecia” serve como demonstrativo do milagre que é Ela ter tido criança.

    Isto posto, é preciso entender que essa questão já foi resolvida pela Igreja e existem dezenas de grandes comentadores da Sagrada Escritura que podem ter tratado exatamente dessa passagem.

     
  14. Para quem questiona Mt 1, 25, segundo determinada tradução, eu devo objetar: antes de mais nada, quem é um simples indivíduo para, além de ler, INTERPRETAR a Bíblia Sagrada? Resposta da própria Bíblia, por meio do primeira Papa (II Carta de São Pedro 1, 20): ninguém. Ninguém pode INTERPRETAR de modo pessoal a Bíblia Sagrada. A INTERPRETAÇÃO só cabe à Igreja (Lc 10, 16; Mt 16, 18-19; I Tm 3, 15 etc. etc.). A nós, ler e consultar a Santa Madre!

    E a Igreja demonstra: o “até que” de Mt 1, 25, interpretado sistemicamente com outras passagens da própria Bíblia, significa TÃO SOMENTE UM “ATÉ QUE”, isto é, SOMENTE fala desde o PASSADO para ATÉ então, mas NADA diz do FUTURO, nem muito menos “dá a entender” futuro nenhum. Maria NÃO teve filhos além de JESUS. Há sim OUTRAS de nome “Maria”, bem próximas (parentes) de Nossa Senhora, que tiveram vários filhos, como Maria de Cléofas, citada em Jo 19, 25. Ademais, se lermos Gn 29,15: “Então Labão disse a Jacó: por seres meu irmão…”, pensaremos que Jacó e Labão eram irmãos de sangue. Mas se compararmos Gn 29,5: “…Conheceis Labão, filho de Nacor?…” com Gn 25,21-26, perceberemos que Jacó era o filho de Isaac e Rebeca. Labão era o filho de Nacor. Eles NÃO eram irmãos de sangue, mas parentes. Maiores informações: http://www.fimdostempos.net/irmaos_jesus2.html

    Sobre o herege que se diz “padre”, espero que sofra excomunhão, e, quem sabe, excomunhão “latae sententiae” (automática). Que se converta sim, mas primeiro reflita BEM longe do rebanho de DEUS!

    Viva e resguarde-se a Santa e Católica Igreja de CRISTO!

     
  15. Vejam. Hoje qualquer médico faz uma inseminação artificial e um parto cesariano numa virgem e ela é virgem antes e depois do parto. Isto é possível para o ser humano normal e para Deus não? Ora, faça me um favor! que padreco hen! esse é daqueles, como diria Nelson Rodrigues, Padre de passeata e eu acrescento, teórico da leibertação.

    Falou…

     
  16. Ora, se todos somos filho de Deus, é facíl saber sobre o tratamento. Como nas cartas de São Paulo. Hoje nos dirigimos a um auditorio: Senhores e Senhora, na época de cristos era irmãos e irmãs…

    Falou…

     
  17. @mariana
    Não é questão de “julgar”. O mal deve ser reparado ou combatido! Eu não julgo ninguém, até porque não tenho autoridade para tanto. O êrro é tal que atinge muitos ingênuos na Fé,
    e por isso o herético Llano responderá, certamente, ao Tribunal de Deus. E também os seus superiores que nada fizerem para impedi-lo. Por muito, muito menos, o Pe. Quevedo (jesuíta que estuda a Psicologia há mais de meio século) teve imposto um “silêncio obsequioso”, que foi exemplarmente acatado e cumprido. Não ofereço sacrifícios pela alma dele coisíssima alguma, ele sabe muitíssimo bem o que disse e o que faz! Ele estudou filosofia e teologia para ser ordenado padre. Não sejas tola, Mariana. Mas, se queres, reze e faças tu sacrifícios pela alma dele. Se possível, faça por mim também. Obrigado!!

     
  18. o problema é que as pessoas querem explicações mais fáceis de acreditar.
    acreditar que Jesus é Filho de Deus, nascido da Virgem Maria, é difícil para quem tem fé fraca, ainda que seja um sacerdote.
    o mais cômodo, porém muito errado e perigoso para as almas, é “modificar”, relativizar os dogmas, para não nos sentirmos mal.

    esse sacerdote e outros que pensam como ele precisa que orem por ele,, não o julguem.
    a Fé é dom de Deus e resposta do ser humano. que Deus o ajude.

     
  19. Ou o Padre Geral, dos Jesuítas, toma uma atitude, ou passo a rever minhas idéias contrárias ao Papa Clemente XIV. Como se sabe, pelo Breve “Dominus ac Redemptor”este Papa dissolveu a Companhia de Jesus, e o seu então Geral, pe. Ricci, foi recolhido, preso, ao Castelo de Santo Ângelo. Como ex-aluno jesuíta (restaurados em 1814, por Pio VII), nunca tive simpatias por tal Papa. Agora, talvez seja a hora de rever meus conceitos. A virgindade de Maria – Maria Teotokos – e as duas naturezas numa só pessoa, em Jesus Cristo, foram definidas há 1.500 anos atrás. Quem é esse idiota travestido de padre jesuíta para ousar desconhecer isso? Tem razão Gregorio Vivanco Lopes, essa imbecilidade é de “fazer inveja aos protestantes mais contrários a Igreja Católica”. Mandem este “traveco” embora!! Jesus disse “ai dos escandalosos…” pois tal Llano é bem merecedor disso. Não merece lhaneza de trato de nossa parte. “Pau nele”!

     
  20. Já temos bastante “católicos protestanizados” em nossas fileiras que já não gostam das imagens de NOSSA SENHORA dentro da Igreja, com uma dessas então eles se rejubilam,junto com os irmãos protestantes.ou se retrate perante o s.s o PAPA e os fiéis a quem ele escreveu esses absurdos, ou seja EXCOMUNGADO.

     
  21. Estaria então Isaias mentindo sobre “Uma virgem dará a luz um filho e seu nome será Emanuel?” Não. Pois as evidencias são muitas. Em Mateus, vemos ao final da descreição da genealogia de Jesus, que diz: “José, esposo de Maria, da qual nasceu Jesus”.
    Mas há um livro pesquisado pela Seleções, apócrifo, portanto, diz: “que os Pais de Maria, Joaquim e Ana, eram idosos e eram segregados por não terem filhos. Joaquim rezou e Ana fez a promessa de que caso fossem atendidos, a criança que nascesse seria consagrada a Deus. E nasceu Maria. Nos primeiros anos sua mãe cuidou dela, mas depois a ofereceu aos sacerdotes para cumprir sua promessa. Ali cresceu e aprendeu todas as atividades prendadas que uma menina deveria aprender, inclusive rezar e meditar. Era costume da época as meninas serem oferecidsa em casamento. Mas os sacerdotes pensaram, quem seria digno de Maria? Não havendo assim quem fosse digno, disseram que havia um senhor, José, que era viuvo, e que seria digno e fiel esposo de Maria. José teria dito que ele já tinha cuidados de seus proprios filhos. Logo, os filhos de José, passaram a ser de Maria por adoção. Como se vê nas estampas, José é um senhor de certa idade e Maria uma mocinha. Basta ver as imagens, que sempre são assim desde as mais antigas que retratam a sagrada familia.

     
  22. Realmente é de estarrecer o que está acontecendo no nosso mundo. A má fé, a falta de amor à verdade, a falta de uma análise mais profunda, para evitar a evidência ululante da ignorância. Que faremos se os que tem por dever iluminar o caminho, fazem tudo para o esconder?A maldade dos corações esta muito evidente. Deus que nos ajude, pois confio em que Ele não vai deixar seu povo se perder.

     
  23. … É muita tergiversação / má-fé nessa tentativa abominável … Ora, somos todos filhos de D E U S e pronto … Contudo, essa heresia é para angariar incautos … e , até parece a versão colombiana da ‘ teoria da libertação ‘ …. com um neo FREI BETO ( ex -frei ) … Isso, também, é comunismo …. CUIDADO !

     
  24. Bem, o problema maior está em Mt 1, 25 que diz na Vulgata:

    “Et non congnoscebat eam DONEC peperit filium”.

    Qualquer um que saiba o mínimo de Latim não terá dificuldade de identificar aí a dificuldade maior:

    “E (José) não a conhecia (conheceru) ENQUANTO (até que) ela pariu um filho (ou seu Filho).”

    A palavra usada por Jerônimo neste trecho, a saber DONEC, tem sabidamente sentido restritivo de tempo, pressupõe um tempo determinado, ainda mais considerando o complemento verbal “[até que] pariu um filho”.

    O versículo em questão é o maior problema para a exegese, creio eu, para advogar a Virgindade Perpétua da Mãe de Deus, pois deixa mais do que evidente a sentença de que José não a conheceu apenas enquanto ela ainda não havia dado a lua Jesus.

    Gostaria que alguém pudesse argumentar CONSISTENTEMENTE acerca desse versículo.

    A Paz do Senhor Jesus nos una!

     
  25. Será que esse padre não tá querendo aparecer? Nesse caso, é mandar uma melancia para ele dependurar no pescoço. Se não for isso, o padre está precisando é estudar mais e rezar muito e a gente também rezar por ele.

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome