Liberdade de religião e de expressão vencem imposição da ideologia lgbt

 Afinal, um pouco de luz no horizonte: vai decaindo a ditadura da ideologia lgbt nos Tribunais.

Decisão de Tribunal do Arizona diz que “obrigar empresárias norte-americanas aceitarem o trabalho do casal homossexual fere a liberdade de expressão e religião”.

“Duas comerciantes do Arizona, no sudoeste dos Estados Unidos, saíram vitoriosas dos tribunais americanos após terem se negado a desenhar os convites para um “casamento” homossexual.

As comerciantes Joanna Duka e Breanna Koski alegaram que não fariam o trabalho (de desenhar os convites) porque suas crenças religiosas não eram compatíveis com a ideologia lgbt.

Liberdade de praticar a religião, liberdade de consciência

Isso se chama liberdade de consciência e liberdade de praticar a religião.

Diz a decisão da Justiça no Arizona: “As crenças de Duka e Koski sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo podem parecer antiquadas e até ofensivas para alguns, mas as garantias de liberdade de expressão e religião não se aplicam apenas àqueles que são considerados suficientemente esclarecidos, avançados ou progressistas. São para todos”, diz a decisão aprovada por 4 votos a 3, alegando não haver homofobia.

Dessa forma, as duas sentenças que incriminavam Joanna Duka e Breanna Koski anteriormente foram invalidadas. Elas haviam sido condenadas por violarem a “Portaria de Relações Humanas” da cidade de Phoenix.

Mais uma vitória que se soma a outras

A decisão colocou fim à história que durava três anos. Em 2016, Duka e Koski, que são donas de uma pequena empresa de caligrafia para convites de casamento, entraram com um processo contra a cidade de Phoenix, por ter forçado as duas a aceitar o pedido dos homossexuais.

Para representar Duka e Koski, o escritório Alliance Defending Freedom (ADF), considerado conservador e cujo lema é “pela fé, pela justiça”, foi acionado. O grupo já trabalhou em casos semelhantes nos EUA e tem experiência no tema, como quando defendeu o chef de cozinha que se negou a criar um bolo para um “casamento” homossexual em 2012, no Colorado.


Boa lição para nós, brasileiros e para nossos Tribunais. A Lei Natural, a Lei Divina, os Santos Evangelhos, o Magistério da Santa Igreja não podem estar submissos à ditadura lgbt. Ou será que surgiu um novo “deus” que revoga a Lei Divina?

Fonte: Economia – iG @ https://economia.ig.com.br/2019-09-17/empresa-se-recusa-a-fazer-convite-de-casamento-gay-e-vence-causa-na-justica.html

 

1 COMENTÁRIO

  1. […] Em recente decisão um Tribunal americano do Arizona dá ganho de causa a duas empresárias que se recusaram a desenhar um convite de “casamento” homossexual. A sentença do Tribunal invoca as “garantias de liberdade de expressão e religião”  e, portanto, recusar a agenda lgbt “não constitui homofobia”. https://ipco.org.br/tribunal-americano-da-mais-uma-vitoria-contra-a-ideologia-lgbt/. […]

Deixe uma resposta