O PCCh obrigou milhares de jornalistas do país a fazer “testes de ideologia comunista”. Por que a midia não protesta?

Contradição e coerência — que soam ser tão opostas — têm sido o “norte” da nossa midia engajada, quer no Brasil, quer nos EUA, na Europa. Dois pesos e duas medidas.

No Brasil, em nome da liberdade de expressão, o cinema, o teatro ridicularizam a nossa Fé, ultrajam o Redentor e Nossa Senhora. Veja-se, por exemplo, o Especial de Natal, de Porta dos Fundos.

Como procede a midia engajada perante a China?

Jornalistas obrigados a estudar Xi Jinping

“O Partido Comunista Chinês (PCC) recentemente ordenou que todos os monges de um famoso mosteiro budista estudassem ideologia política, enquanto milhares de jornalistas do país tiveram que fazer testes de ideologia comunista para obter seus passes de imprensa registrados pelo governo.”

“Em outubro de 2019, o Partido exigiu que todos os repórteres e editores passassem em um teste sobre “Os pensamentos de Xi Jinping sobre o socialismo com características chinesas na nova era”, referindo-se ao tipo de ideologia política do líder supremo Xi Jinping.”

Quer ser jornalista na China? Elogie Xi Jinping

“Sem uma pontuação qualificada no teste, os jornalistas perderão seus passes de mídia.

“A estatal chinesa Xinhua relatou anteriormente que cada jornalista tem que estudar pelo menos 24 horas da ideologia de Xi, composta principalmente de discursos que ele fez nos últimos anos, antes de poderem fazer o teste.

“Em 9 de novembro, a Radio Free Asia relatou que verificou dados oficiais da Administração Geral de Imprensa e Publicação da China, a agência administrativa do PCCh para controlar e regulamentar notícias, publicações impressas e na Internet, e descobriu que “205.000 jornalistas chineses foram aprovados no ‘Xi Teste de pensamentos até 30 de outubro e obtenção da licença de imprensa. ””

                                                         ***

Leitor, por que nossa midia não denuncia essa tutela, essa imposição, essa ditadura de “pensamento  Xi” imperante na China comunista?

Divulgue e interprete os “pensamentos Xi”

Continua a notícia: “O ministro da propaganda da China, Huang Kunming, ordenou da mesma forma que todos os repórteres, editores e outros funcionários da mídia chineses aderissem à linha do Partido durante uma cerimônia de premiação da mídia em Pequim em 6 de novembro: “divulgar e interpretar ‘Pensamentos Xi’ deve ser sempre a principal tarefa política para jornalistas que trabalham na linha de frente das notícias ”, disse ele.”

Huang acrescentou que eles deveriam “cantar altos elogios ao socialismo com características chinesas na nova era e no PCC”.

***

A notícia prossegue: “Em 6 de novembro, o monastério budista do Templo Daci’en na cidade de Xi’an, província de Shaanxi, […] pediu a todos os monges no templo “para colocar sua mente e ações em seguir o discurso chave de Xi Jinping [proferido na sessão].”

Não há liberdade para a Igreja Católica

Cardeal Zen, 2020, levanta-se contra o Acordo Provisório Vaticano-Pequim

Igreja destruída sob ordens de Xi Jinping

“WASHINGTON D.C. 9 de janeiro de 2020 (LifeSiteNews) – A perseguição religiosa na China aumentou rapidamente no ano passado, de acordo com um novo relatório do governo dos EUA. A “intensidade” da perseguição, que, afirma o relatório, não foi visto “desde a Revolução Cultural,” estava ligada ao Vaticano que assinou um acordo secreto com o governo comunista chinês para dar ao governo o poder sobre a Igreja Católica do país.

“Os observadores descreveram a perseguição religiosa na China no último ano como de uma intensidade não vista desde a Revolução Cultural”, afirmou o relatório anual da Comissão Executiva do Congresso dos EUA sobre a China (CECC).

A farsa da “Sinicização”

“O relatório, divulgado em 8 de janeiro, afirmou que o governo chinês o presidente e secretário-geral do Partido Comunista, Xi Jinping, dobrou a sinicização da religião — uma campanha que visa trazer a religião na China sob controle oficial mais próximo e em linha com interpretações oficialmente sancionadas da cultura (comunista) chinesa”.

Em palavras mais diretas, a Sinicização não é senão a marxistização da Biblia, a re-educação dos sacerdotes, a introdução de fotos de Mao nas igrejas.

Cardeal Zen: salvem a igreja da China

A Igreja Subterrânea na China (fiel à Roma) revive aqueles primeiros séculos de perseguição promovida pelo Império Romano. Com uma agravante, segundo denúncias do Cardeal Zen (comprovadas pelos fatos) de que Roma favorece os péssimos desígnios de Pequim .https://ipco.org.br/igreaj-subterrania-na-china-xi-jinping-retorna-aos-tempos-da-perseguicao-religiosa-de-nero/


Se a midia não divulga, desconfie. Há coerência na contradição da mídia, usando dois pesos  e duas medidas, sempre para tentar salvar o socialismo e o comunimo.

Fonte: https://www.theepochtimes.com/chinese-regime-mandates-journalists-and-monks-to-study-communist-ideology_3577337.html

Deixe uma resposta