“Em uma demonstração de apoio bipartidário, os membros do Congresso dos Estados Unidos enviaram uma carta em 7 de maio reafirmando sua aliança com a Austrália e condenando as ameaças recentes feitas pelo embaixador chinês em Camberra.”

Forte apoio à aliança EUA-Austrália

“Membros de ambas as câmaras e de toda a divisão política escreveram sobre a “companheirismo” do país e reafirmaram o “forte apoio à aliança EUA-Austrália”.”

“Endereçada ao embaixador australiano Arthur Sinodinos, a carta dizia que é “natural” que a Austrália busque uma revisão objetiva e independente das origens do vírus”, e que os membros do Congresso dizendo estão de pleno acordo.

O Comitê de Relações Exteriores do Senado dos Estados Unidos escreveu no Twitter em 7 de maio: “Os EUA apoiam nossos amigos e aliados australianos diante das ameaças do #CCP. Juntei-me aos membros do Senado e da Câmara para apoiar a #Australia após o PRC Amb. Cheng sugeriu retaliação econômica depois que pediu uma investigação sobre as origens do # COVID19. ”

Qual o “crime” da Austrália? Pedir uma revisão independente e transparente sobre as origens do coronavírus

UE apresenta resolução à OMS — Após os esforços do governo (australiano), uma resolução foi apresentada pela União Europeia para a Organização Mundial da Saúde em 18 de maio que discute a necessidade de uma revisão apropriada.

O primeiro-ministro Scott Morrison disse a Alan Jones na Rádio 2GB em 1º de maio: “O que o mundo todo precisa saber – e há muito apoio para isso – é como começou e quais são as lições a serem aprendidas?”

“Isso precisa ser feito de forma independente. E por que queremos saber isso? Porque isso poderia acontecer novamente ”, ele disse.

Anteriormente, em 14 de abril, o Secretário-Geral das Nações Unidas (ONU), António Guterres, se comprometeu com uma revisão da pandemia do vírus PCC após a crise passar.

Embaixador chinês ameaça a Austrália

A ex-ministra das Relações Exteriores da Austrália, Julie Bishop, disse à ABC Radio em 30 de abril que estava surpresa com a reação da China, uma vez que eles “não queriam realizar uma investigação credível para o resto do mundo”.

Chinese Ambassador to Australia Cheng Jingye“O embaixador chinês Cheng Jingye em 26 de abril ameaçou que o “público chinês” possa boicotar as exportações australianas, o turismo e o setor universitário se o governo continuar com o inquérito”.

Acrescentamos: É um comentário cínico do embaixador falar em “público chinês” num país dirigido ditatorialmente pelo PCCh.

Sr Embaixador: que tal um plebiscito consultando o “povo chinês”? Há quantas décadas não há eleições livres na China?

Resposta firme da Austrália: não aceitamos chantagem

“O ministro das Relações Exteriores Payne também disse em 1º de maio que a Austrália rejeitaria “qualquer sugestão de que a coerção econômica seria uma resposta adequada aos pedidos de uma revisão independente e transparente””.  https://ipco.org.br/australia-na-linha-de-frente-investigacao-internacional-coronavirus-embaixador-chines-ameaca-retaliacao/

***

“A carta foi assinada por 27 membros da Câmara dos Deputados e do Senado e incluiu os senadores Jim Risch (R-Idaho) e Bob Menendez (D-N.J.), presidente e membro do Comitê de Relações Exteriores do Senado.

Eles citaram comentários do primeiro-ministro australiano Scott Morrison e do ministro das Relações Exteriores, Penny Wong.

Ao pedir uma investigação, Morrison disse: “Gostaríamos que o mundo fosse mais seguro quando se trata de vírus. Espero que qualquer outra nação, seja a China ou qualquer outra pessoa, compartilhe esse objetivo”.

A carta (dos deputados e senadores) dizia que a resposta do embaixador chinês Cheng Jingye em uma entrevista à Australian Financial Review em 26 de abril foi “profundamente perturbadora” e que “se opuseram inequivocamente a esse comportamento”.

Quando Cheng foi questionado ao pedir uma investigação, ele respondeu: “Não é do seu interesse. Isso não lhe trará respeito e é prejudicial aos esforços globais. ”

***

Por quê a China não abre as grades e dá livre acesso à Imprensa internacional?

Essa é a forma agressiva com que a China responde ao justo pedido da Austrália. Em hora hora deputados e senadores americanos enviam seu apoio ao governo australiano.

Em outros países os embaixadores-tiranetes de Pequim respondem agressivamente. Já tivemos a ameaça do embaixador chinês no Brasil. https://ipco.org.br/ainda-o-virus-chines-eduardo-bolsonaro-espelhou-o-sentir-do-mundo-livre-apaga-se-a-estrela-de-pequim/

Seria tudo fácil e simples para Xi Jinping e seus embaixadores-tiranetes: abram os portões de ferro, abram as grades da China e permitam à imprensa informar o mundo da realidade chinesa. E dêm liberdade às redes sociais…

Alerta Brasil: é para onde nos querem levar o governador-interventor Doria, os governadores-tiranos petistas, a mídia comprada pela China. https://ipco.org.br/acordo-band-e-china-vai-dando-seus-frutos-amargos-contra-a-soberania-nacional-eduardo-itamaraty-x-embaixador-chines/

A quarentena ditatorial e socialista é um primeiro teste …

Fonte: https://www.theepochtimes.com/us-shows-bipartisan-support-to-australian-ally-in-response-to-chinese-embassy-threats_3343153.html

 

Deixe uma resposta