Salve meu filho se algo acontecer comigo, afirma mãe com covid

0

Mãe carinhosa, doente com COVID, salva a vida do bebê com parto prematuro e morre 10 dias depois: quero que salvem meu filho.

Frequentava a missa tridentina

“(LifeSiteNews) – Conheci Jessica Hallgren há pouco mais de um ano e meio. Reparei nela na primeira vez que ela foi à nossa pequena capela em Allendale, Michigan.

Rezemos pelo eterno descanso dessa mãe que salvou seu filho

“Jéssica e eu puxamos conversa no estacionamento depois da missa. Eu esqueci tudo o que discutimos, mas ela disse algo como a missa em latim é “simplesmente tão bonita“.

Jéssica aproximou seu esposo e filhos da missa tradicional.

O que mais me impressionou em Jessica – como todos aqueles que estão interessados ​​no catolicismo tradicional – foi seu simples desejo de saber a verdade. Ela tinha uma mente inquisitiva e nunca se esquivou de uma pergunta ou de compartilhar sua opinião. Ela também tinha uma personalidade feminina e alegre. Ela era uma pessoa humilde que amava ser mãe, esposa e amiga.

Não me lembro exatamente quando, mas o marido de Jéssica, um chef, e seus quatro filhos, começaram a vir à nossa igreja. Seus pais também. Deus, sem dúvida, estava agindo por meio dela.

Como muitos paroquianos, Jessica pegou o vírus. Mas, ao contrário de outros paroquianos, ela estava grávida de sete meses.

“Todos em nossa capela oraram muito pela recuperação de Jessica. No hospital, ela disse à equipe: “Quero que você salve o bebê se alguma coisa acontecer”. Visto que ela não estava bem, os médicos decidiram que uma cesariana seria realizada. Esse procedimento ocorreu no sábado, 4 de dezembro.

A bebê Margaret Hallgren entrou neste mundo prematuramente.

Reconfortada pelo últimos Sacramentos

Pela graça de Deus, antes de ser colocada no respirador, um padre ouviu a confissão de Jessica e lhe deu sua sagrada comunhão. Mais tarde, ela recebeu a Unção dos Enfermos. “Ela estava preparada para ir, especialmente por salvar a vida de seu bebê”, sua mãe me disse.

Jessica Hallgren faleceu na terça-feira, 14 de dezembro, cercada pelos pais, pelo marido amoroso e pela filha mais velha.

Vou continuar a orar pelo repouso da alma de Jéssica, mas saiba que ela deu sua própria vida, como Cristo fez por nós, para que seu filho pudesse viver. “Que amor maior tem do que dar a vida por um amigo”, diz João 15:13. Como Deus não poderia recompensar Jéssica com outra coisa senão felicidade eterna? Estarei pedindo a ela que ore e me proteja pelo resto da minha vida, conclui LifeSiteNews.

***

Destacamos a influência do ambiente tradicional, do rito tridentino, da confissão, da Extrema Unção, da Fé na Santa Igreja e o exercício do amor materno que decide pela vida do nascituro.

Como tudo isso é diferente da Planned Parenthood, das ONGs pró aborto disseminadas pelo mundo afora e da agenda feminista que ignora e repudia a missão de mãe.

Rezemos pelo eterno descanso de sua alma, uma mãe voltada à missão dada por Deus à mulher.

Nossa Senhora a proteja e a todas as mães de nosso Brasil para que sejam fieis à sua missão.

Fonte: https://www.lifesitenews.com/news/military-begins-discharging-service-members-for-refusing-covid-vax-more-to-follow/?utm_source=home_more_news&utm_campaign=usa

Deixe uma resposta