No dia 1º de agosto, os ministros da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho (à esq.); da Saúde, Alexandre Padilha (centro); e da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci (à dir.), concederam entrevista sobre o PLC 3 /2013 sancionado pela Presidente Dilma Rousseff. [foto: José Cruz/ABr]
No dia 1º de agosto, os ministros da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho (à esq.); da Saúde, Alexandre Padilha (centro); e da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci (à dir.), concederam entrevista sobre o PLC 3 /2013 sancionado pela Presidente Dilma Rousseff. [foto: José Cruz/ABr]
Aconteceu o que receávamos: a presidente Dilma Rousseff sancionou no dia 1º de agosto o PLC 3/2013 (Projeto de Lei da Câmara que amplia ainda mais os casos de aborto “legal” (sic) no Brasil), sem vetar qualquer artigo. Ela não honrou a palavra dada por ocasião das últimas eleições, quando prometera que nada faria que favorecesse o aumento da prática abortiva durante seu mandato. Lembrem-se que foi com tal promessa que ela obteve a vitória (apertada) eleitoral. Daí pode-se tirar uma lição: realmente não podemos JAMAIS confiar em quem não tem palavra.

Para aprovar o projeto abortista, a presidente não assinou usando uma caneta com tinta extraída do sangue de inocentes abortados, mas perante Deus e a História ela ficou, como Herodes, com as mãos manchadas de sangue inocente. E com ela todos aqueles que favoreceram de forma sub-reptícia e na velocidade de um raio essa aprovação, como o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, e os congressistas petistas, principalmente a deputada petista por São Paulo, Iara Bernardi. (Ver a respeito posts anteriores).

O que dizer daqueles congressistas que não promoveram diretamente tal projeto, mas acabaram emitindo votos favoráveis, alegando que não perceberam a manobra, pois o projeto não empregava o termo “aborto”? Não perceberam que o texto abusava de eufemismos justamente com o objetivo de enganar e de não levantar reações daqueles que desejam evitar uma nova “matança de inocentes”? — Deus, que conhece o mais íntimo de todos os corações, saberá!

Aconteceu o que receávamos: A CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) não pressionou o governo pelo VETO INTEGRAL do PLC 3/2013, como milhões de brasileiros haviam pleiteado. Ela pediu apenas o VETO PARCIAL…

Com receio de não obter da presidente Dilma o veto total do herodiano projeto, a CNBB pediu a ela que vetasse somente dois artigos do projeto. Resultado: preferindo ceder para não perder, a CNBB acabou por perder tudo, pois a presidente sancionou totalmente o projeto.

Inclusive foram feitos abaixo-assinados, um dos quais com milhares de assinaturas entregue diretamente na Cúria Metropolitana do Rio de Janeiro, para que os bispos pedissem ao Papa Francisco, durante sua estadia no Rio, que exortasse a Presidente Dilma a VETAR TOTALMENTE o PLC. Pelo jeito, tal pedido não foi feito…

Assim, a CNBB realmente confirmou o que afirmamos em post anterior: que ela atua no Brasil como “a voz que adormece e a mão apaga”. Ela trabalhou para “adormecer” e “apagar” a chama das boas reações que surgiram nos meios católicos.

Aconteceu o que receávamos: O pedido ao Papa Francisco não foi transmitido pela CNBB e o Papa não falou com a Presidente sobre o tema. Nosso último post assim encerrava: “Oxalá o Romano Pontífice possa de fato falar com a presidente Dilma pedindo-lhe o VETO INTEGRAL do tal projeto abortista, pois, como reza a expressão latina: “Roma locuta, causa finita” (‘Roma falou, a causa está encerrada’) — ou seja, o veto total estará garantido!”.

Se o Papa tivesse pedido à Presidente Dilma que vetasse o projeto, ela o teria sancionado? — Certamente não, pois não teria a ousadia de contradizer o Pontífice tão popular no Brasil.

O pedido de milhões de brasileiros que defendem a moral e são contrários ao aborto não foi ouvido. Agora não se trata mais de um projeto. Tendo sido sancionado pela presidente, passa a ser lei: os hospitais da rede pública serão obrigados a “prestar atendimento emergencial e multidisciplinar às vítimas de violência sexual”; a encaminhar a mulher que alegar ser “vítima de violência sexual” a um serviço de “profilaxia da gravidez” — ou seja, aconselhá-la o aborto, bem como dar “informações às vítimas sobre os direitos legais e sobre todos os serviços sanitários disponíveis”, oferecendo-lhe, por exemplo, “contraceptivo de emergência”: a pílula abortiva. A gestante sequer precisará provar que realmente sofreu “violência sexual”, ou ao menos apresentar um laudo do IML ou um BO.

Além de desonrar a palavra empenhada, Dilma Rousseff não quis “ouvir as ruas” — a voz de milhões de inconformados de todos os quadrantes do Brasil. O descontentamento desses inconformados em relação ao governo petista percorre o País, com manifestações alastrando-se por todas as partes sob o lema VEM PRA´RUA. Agora, com a nova e ignóbil lei imposta   que entrará em vigor em 90 dias  ocorrerá um aumento da “matança de inocentes” no Brasil. Devido a isso, seria bem o caso de novas manifestações, um de cujos slogans poderia ser o seguinte: COM O ABORTO O PT QUER IMPEDIR BRASILEIROS DE NASCER / PORQUE SABE QUE COM O PT ELES NADA VÃO QUERER.

19 COMENTÁRIOS

  1. Todos os comentários anteriores são de grande importância para que cristãos católicos ou de outra denominação se conscientize do grande mal que os políticos estão causando ao povo que lhes deu um voto de confiança.
    A Presidente querendo buscar apoio das bancadas que aprovaram o aborto sancionou a PLC 3/2013. Ela deve saber que apoio de bancada no Congresso puro e simplesmente não a levará a uma reeleição se o povo não aprovar sua conduta no mandato.
    Com essa atitude tomada pela Presidente, reeleição ela não terá nunca, porque religiosos de verdade não darão a ela o menor apoio. Assim sendo, meus irmãos, vamos fechar o compromisso de não votar para a atual Presidente nem para Sindica de condomínio onde muitos que ali estão são muito mais honrados do que ela no poder. Sinto muito Presidenta, más nós católicos só temos isto para dizer.

  2. Tomo a liberdade de encaminhar um artigo meu publicado no jornal
    “O Municipio” de Brusque/SC no dia 5/08/2013:

    Delete meu voto

    É desnecessário dizer que ninguém em sã consciência aceita a violência de um estupro, ou em palavras eufemística, do “sexo não consentido”. É no mínimo um ato monstruoso.
    É uma máxima que a vida deva ser gerada por um ato generoso do amor recíproco. Que este ato seja por um desejo incondicional das partes coadjuvantes da vida. Infelizmente, por um erro moral de alguém, pode haver o surgimento de uma vida. Ela não escolhe formas por detrás de regras sociais. Ela é tão forte para existir, que se permite vir em qualquer condição, independente dos valores que lhe foi permitido chegar; se foi na cama, no chão e até por um ato de violência física. Nesse sentido, devemos respeitá-la e aceitar sua vinda. Sua existência, protagonizada por dois seres vivos anteriores e aptos, é sempre independente. É um novo ser. Ninguém mais pode lhe impedir sua participação no nosso meio. Assim, a partir do momento externo da mãe que o gerou, a sua eliminação passa ser um crime, então antes deste momento também este ser já existia.
    O nascimento de um ser não é por um milagre (pufff) neste instante; o milagre já ocorreu anteriormente. Então sua eliminação antecipada também é um crime. Por que então não eliminar os filhos fruto de uma relação indesejada após seu nascimento? Após este evento, está em impresso em nossa civilização (ainda), que este ato será um assassinato. Mas, para ele nascer terá que existir bem antes. Então antes também será um assassinato. Afinal dois pesos duas medidas?
    Presidenta, Vsa. Senhoria está se resvalando pela ladeira do relativismo moral. Que pena. Fui seu eleitor por que acreditava que uma mulher tivesse mais pulso moral do que os homens que vieram até aqui administrando o país. Me enganei.
    Sempre tive fé que por ser mulher tivesse e, assumisse os valores tradicionais da família. Que terrível engano. Embora com minhas reservas sobre sua atuação no passado em defesa de uma ideologia, onde também tinha alguma admiração, tinha esperança que como mulher os valores de nossa civilização cristalizadas ao longo dos séculos estavam ainda firmes em sua cabeça. A decisão de sua aceitação da PEC 03/2013, foi o pingo necessário para transbordar minha indignação. Nunca se corrige um erro com outro erro. Sua cegueira não permite enxergar que a violência que assistimos já é fruto da decadência moral da sociedade. Sua atitude irá aumentar mais ainda a violência. Anote por favor.
    Dilma, você está perdida. Você foi envolvida pelos tentáculos de um monstro ideológico que não mais a deixa pensar com a luz da verdade. Tenho pena. Vou orar por você, na esperança que um dia receba a luz da revelação antes de chegar sua hora.
    As trevas do relativismo moral estão chegando, mais rápido que se esperava e você está sendo mais uma vitima dela. Diante deste absurdo que estamos presenciando, então vou também relativizar: Peço ao Superior Tribunal Eleitoral, que delete das urnas eletrônica meu voto que lhe confiei.

    Sergio Sebold, 72 – Economista e Professor Independente – sebold@terra.com.br

  3. Se a Igreja Católica Apostólica Romana (representada pela CNBB) não fizer forte oposição em situações como esta, não apoiar as pessoas que se mobilizam neste tipo de causa, ficamos a deriva, como um navio sem comandante. Srs. da CNBB precisamos de uma Igreja atuante, que luta pela justiça, que diga não as barbáries, que não se omita, que esteja junto dos fiéis, que pregue e SIGA o evangelho de Jesus Cristo.

  4. Eu pergunto, porque a CNBB foi tão omissa? porque não apoiou as milhares de assinaturas a ela enviadas, para que o papa pudesse interceder junto a presidente Dilma? consideram sem importância uma causa tão importante? Não acreditam em Deus? Acho que a CNBB nos deve explicações… de que lado eles estão? De Deus!!!!???…

  5. Que vergonha Dilma! Se vc fosse obrigada a abortar sua filha,ficaria
    feliz?? É o que vai acontecer depois da lei do ABORTO ser assinada por vc. Muitos pais, maridos e namorados de agora em diante farão
    de tudo p/que o ABORTO seja feito pois é LEI, e a lei inibe práticas
    malígnas como essa, mas quando não hà lei a carnificina é grande e sem nenhuma piedade! De agora em diante, serão milhares de inocentes
    arrancados aos pedacinhos de ventres maternos!! Dói nosso coração,a nossa alma e vc é a responsável principal. Como Pilatos,vc fez a pior escolha!As vózes dos que não puderam nascer,vão ser ouvidas por Quem lhes deu a vida! No dia do julgamento final, haverá menos rigor para muitos que pensamos ser os piores!!! Basta agora Dilma! Já não esperamos mais nada de sua pessoa, nem de seu Vice.

  6. E esse é o tipo de gente que condena a igreja porque houve cruzadas e inquisição. São os piores hipócritas de toda a história humana porque decretam cruzadas e inquisições contra pobres criaturinhas que nem ao mensos têm a chance de se defender. A legalização do aborto é o pior holocausto da história da civilização. Esse tipo deveria são os únicos que deveriam ter sido abortados… mas foram preservados por mulheres que tiveram coração de mãe, coisa que guerrilheiros, comunistas e capitalistas inveterados não têm. Miserere nobis, Domine!

  7. Parece que nos aconteceu o pior possível: o aborto foi aprovado sem necessidade de qualquer procedimento penal, realizado, e provavelmente incentivado, pelo próprio governo, e como a melhor parte de um plano sinistro, sistemático, continuado e expansionista, espécie de eugenia, arquitetado por estado socialista-comunista com todo aval internacional, contando com toda a benevolência inimaginável da grande mídia e o assentimento velado de milhares de brasileiros. Fui avisado do problema pelo Padre Ricardo logo que a PL03/2013 chegou à Presidência, mas apesar de meu empenho (fax assinado à esta, redes sociais, etc.) vejo até mesmo minha esposa, apesar de católica relativamente praticante, querer minimizar o episódio alegando que é uma decorrência inevitável em todo mundo e que se trata apenas de uma interrupção em fase muito inicial. Pior, a CNBB foi vacilante, não avisou sequer o Papa em sua visita ao Brasil, 4 dias antes, titubeou propondo arremedos parciais, com exceção da Região-Sul que, justiça seja feita, fez uma carta pública bastante firme e claramente exigindo veto total.

    O que fazer? Não seria o caso de, como em Nínive, pelo menos os católicos baixarem a cabeça em luto por sua cota de mea culpa e também protestarem, até pela forma grotesca, inconstitucional e corrupta com que tudo foi conduzido? Não seria o caso de todos, desde os cardeais, padres, diáconos e cada leigo fazer um voto de penitência? Quem sabe um evento público, como 72 horas de jejum completo, nos três dias que antecederem ao prazo de 90 dias de entrada em vigor dos assassinatos, que poderia ter uma forma pública mais contundente – perante a imprensa deixar-se-ia que fosse chamada de “greve de fome”, para dar maior impacto, apesar de, entre nós, sabermos perfeitamente que não se trata de uma rebelião contra si próprio, é um procedimento bíblico e afinal ninguém vai morrer por causa disso…. Sabendo que na China o genocídio alcançou a cifra de 300.000.000 de crianças mortas, e enfim, o sinal claro dado por Nossa Senhora de caminho para a total degradação da civilização, acho que a Igreja precisa tomar medidas enérgicas.
    atenciosamente,
    Murilo Carlos Veras

  8. É uma lástima ter dizer isto, mas é a pura verdade: A credibilidade da CNBB foi por água abaixo definitivamente e também aqueles (bispos, padres, etc) que nada fizeram e poderiam ter feito, são outros Pilatos e terão a co-participação nas mortes de inocentes que acontecerá.
    Prestarão contas diante de Deus desta abominável ato.
    Fiz o que pude daqui, também assinando com tantos milhares de outros a petição que deve ter sido “por eles” jogada no lixo.
    Além da CNBB ser um foco de comunistas que agem nas pastorais indígenas (CIMI) dos invasores sem terra (MST e similares), deveria a partir de agora fundar outra pastoral, a PA (pastoral do aborto).
    São poucos os que agem contra a Igreja de Jesus Cristo, mas fazem um grande estrago, pois apoderaram-se de cargos chaves ligados a ela e aqui no Brasil o “ninho” infelizmente está na cúpula: CNBB.
    Que Deus tenha misericórdia de nosso povo e “deles” também, se é que vão querer misericórdia.
    Não é julgamento, pois este cabe a Deus, mas é a constatação da verdade dos fatos.
    Manoel

  9. As esquerdas de hoje há muito que se esqueceram de honrar a palavra, honra e vergonha á muito que desapareceu do seu vocabulário. Obama, na América, sobe a agenda gay; prometeu não se envolver, mas não cumpriu, (o aborto já a América lhe está a sofrer as consequências, pelos 55 milhões de inocentes assassinados legalmente através dessa maquiavélica lei humana) na Europa quase em todos os países, tanto no aborto como na homossexualidade foi seguido o mesmo processo; aprovadas traiçoeiramente, tal como Dilma, prometem mas não cumprem. Em toda estas sociedades chegou o tempo de dizer basta a toda esta classe de políticos mentirosos, e ensinar a todos os nossos filhos e netos que temos um Criador Todo Poderoso que criou os céus e a terra, e que não somos descendentes de animal quadrúpede, temos que reforçar e apoiar a juventude brasileira pelo esforço que fazem em suporte dos valores familiares legados pelos nossos ancestrais. Seja qual for a nossa denominação de cristãos, não nos podemos manter mais tempo neutros, ou agimos ou seremos comidos por eles; estes como já desceram ao ponto igualitário de terem por seus ancestrais quadrúpedes, para eles; é o seu caminho e raciocínio próprio: procederem como seus antepassados, porque estes são os seus familiares mais próximos, segundo eles próprios dizem. Por tal; como mentalmente deficientes no que a relações humanas diz respeito, não nos podemos admirar quando atacam aqueles que não trilham os seus caminhos e tem prazer de caminhar pelos trilhos que nos ensinou esse Absoluto e Maravilhoso Criador. Para animais ferozes o ser humano é uma preza indefesa. Lembre-se que o neutro é tragado pelo mais bárbaro e o que fica atrás do rebanho é tragado pelas feras da selva.

  10. Ela estava agoniada pra aprovar essa lei e sabe que não terá uma nova chance, já que não durará além de 2014. Eu só espero que essa lei maldita criada e aprovada por assassinos, possa ser revogada no futuro. Isso definitivamente não é o Brasil. Não são só os religiosos que não toleram essa atitude. Todo brasileiro de bem está transtornado e perplexo. Nós nos livraremos desses diabos em breve. Tenho fé em Deus.

  11. É com pesar que recebi esta notícia. Meu nome constava da lista que deveria ser entregue ao Papa.

    A Presidente Dilma não apenas “não honrou a palavra dada por ocasião das últimas eleições, quando prometera que nada faria que favorecesse o aumento da prática abortiva durante seu mandato”, como também não honrou o que disse em seu discurso de posse:

    “Meu compromisso supremo é honrar as mulheres, proteger os mais frágeis e governar para todos!”

    Certamente, com a aprovação desse PLC 3/2013, os mais frágeis não mais estarão protegidos de uma sentença de morte e assassinato.

  12. Infelizmente o que nós, católicos brasileiros podemos esperar de uma presidente que deu status de ministério a uma abortista declarada, como essa Eleonora Menicucci.
    Ambas se rejubilam em receber as integrantes da “Marcha das Vadias” como comprova a reportagem abaixo.
    As digitais deste partido que (des)governa este país é facilmente constatada nesta reportagem.

    A criminalidade das Vadias.
    Bruno Braga.

    O tratamento dado pelo Jornal Nacional ao comportamento de dois participantes da Marcha das Vadias é apenas uma amostra de como a imprensa abordou o caso com brandura e até conivência. Não denunciou o que realmente aconteceu durante a passeata realizada no Rio de Janeiro, no mesmo local em que católicos se reuniram para a Jornada Mundial da Juventude: um CRIME. Conduta tipificada no Art. 208 do Código Penal, que reza: “ESCARNECER DE ALGUÉM PUBLICAMENTE, POR MOTIVO DE CRENÇA ou FUNÇÃO RELIGIOSA; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; VILIPENDIAR PUBLICAMENTE ATO OU OBJETO DE CULTO RELIGIOSO”.

    Os termos gerais da lei – “escarnecer”, “vilipendiar” – não traduzem diretamente a conduta dos manifestantes. Somente quando os termos gerais são preenchidos com o conteúdo efetivo, ou seja, com a descrição do comportamento, com as cenas do que realmente aconteceu, é que o fato desperta a repugnância que a simples denúncia de violação da lei ou de “desrespeito” com a crença alheia não são capazes de expressar. Os manifestantes cobriram a genitália com a imagem de Jesus Cristo; chutaram, pisotearam e destruíram cruzes e crucifixos; destruíram duas estátuas de Nossa Senhora. Fizeram mais, o que o noticiário não exibiu: eles simularam relações sexuais, se masturbaram com as cruzes e imagens, como mostram as fotos.

    O cenário do que é tido como “performance” não permite amenizar a ocorrência como uma “atitude impensada”. De maneira alguma. Nem mesmo os peregrinos, que participavam de um evento religioso, conseguiriam recolher às pressas – de improviso – tantos crucifixos; e para adquirir as DUAS imagens deliberadamente destruídas seria preciso, não apenas planejamento, mas juntar as economias de um bom número de fiéis, porque a maioria presente precisa trabalhar meses para comprar pelo menos UMA.

    Não é possível dizer que o CRIME foi uma atitude isolada de dois manifestantes. Não. As fotos indicam que outras pessoas contribuíram e participaram do ato, fazendo uma corrente para proteger e estimular a macabra “performance”. CRIME PREMEDITADO por um grupo, que poderia ser denunciado como BANDO ou QUADRILHA, caracterizado quando há uma associação de mais de três pessoas com o fim de cometer CRIME (Código Penal, Art. 288).

    Mas, a “performance” – o CRIME – foi realizada diante de crianças:

    A Marcha das Vadias fomenta este tipo de comportamento. O “escárnio”, o “vilipendio”, enfim, o CRIME faz parte dos eventos promovidos pelo grupo. O traje de uma das organizadoras da passeata do Rio de Janeiro – Rogéria Peixinho – é a prova material disso:

    Rogéria Peixinho não é apenas agitadora de passeatas. É uma “feminista” engajada, e atua no âmbito da política. Em 2010, ela, com outras feministas, foi recebida por Marco Maia, Deputado Federal do PT.

    No mesmo ano, Rogéria Peixinho participou de um Seminário LGBT promovido pela Câmara dos Deputados. No evento – com uma mesa composta por José Genoíno, Deputado Federal pelo PT, e por Jean Wyllys, que ainda não exercia um mandato público e se apresentava como “jornalista”, “escritor” e “professor” – Rogéria Peixinho fez oposição ao “Estatuto do Nascituro”. A “feminista” reivindicava o “direito” de ABORTAR – quer dizer, de MATAR CRIANÇAS –, sob o pretexto de lutar pela “liberdade” das mulheres e contra o “fundamentalismo religioso”.

    “São os mesmos religiosos fundamentalistas que atacam as mulheres no Congresso Nacional. Quero denunciar que amanhã será votado, na Comissão de Seguridade Social e Família, o ESTATUTO DO NASCITURO” […] “esses fundamentalistas que querem controlar nosso corpo, que querem mutilar as mulheres, porque esse projeto do ESTATUTO DO NASCITURO também controla a sexualidade e a reprodução das mulheres. Então, viemos trazer nosso apoio e dizer que ESTAMOS LADO A LADO NA LUTA CONTRA ESSES FUNDAMENTALISTAS” (os destaques são meus) [1].

    Rogéria Peixinho tem uma relação estreita com o PT. Em 2009, ela recebeu das mãos de Inês Pandaló, Deputada Estadual pelo PT, um diploma por sua atuação como “educadora”, sim, como “educadora”, em uma cerimônia na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro [2].

    Nas eleições de 2012, Rogéria Peixinho fez campanha para uma candidata do PT que pleiteava uma cadeira na Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro:

    Também em 2012, Rogéria Peixinho, acompanhada de outras feministas, foi recebida pelo então líder do governo, Deputado Federal Arlindo Chinaglia (PT-SP). A reunião contou com a representação da Marcha das Vadias do Distrito Federal [3].

    É necessário recordar que, com a onda de protestos realizados pelo Brasil, a Presidente Dilma Rousseff promoveu uma série de reuniões com os chamados “movimentos sociais”. A Marcha das Vadias foi recebida no Palácio do Planalto com status de “representante do POVO” e das “Mulheres”, em uma reunião realizada no dia 28 de Junho de 2013.

    A Presidente da República sabia muito bem que grupo estava recebendo. Porque a Marcha das Vadias é reincidente, o CRIME cometido durante a Jornada Mundial da Juventude não foi uma exceção. No ano passado, ela foi aplaudida pela Ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres. Eleonora Menicucci considerou “importantíssimo”, disse que a “divulgação” que Marcha das Vadias estava tendo era “merecida” – ela era “bonita”. Acontece que, no Rio de Janeiro, manifestantes do grupo – uma QUADRILHA ou BANDO (art. 288, Código Penal) – invadiram uma igreja aos berros, reivindicando, diante do altar, o direito de MATAR – quer dizer, de ABORTAR [4].

    Mas, a Ministra que confessou ter participado de treinamento clandestino de aborto na Colômbia [5] parece ter mais que um apreço “estético” pela Marcha das Vadias. Com ela tem certa “proximidade”. Porque a representante do grupo em Brasília – que aparece na foto acima com a Presidente da República – tem contrato temporário na área de PLANEJAMENTO da Secretaria de Políticas para as Mulheres [6].

    Basta. O material apresentado é suficiente para denunciar o protesto CRIMINOSO promovido pela Marcha das Vadias. Mais do que isso. Ele mostra a estreita relação estabelecida entre o grupo e partidos políticos, com o poder público [7]. Uma relação clara e obscena como a macabra “performance” realizada no Rio de Janeiro, e que consequentemente afetará o conjunto inteiro da população. É materializada em projetos de lei, planos educacionais, programas “culturais”, etc. – enfim, em uma sinistra engenharia social – e que sob o pretexto de ouvir os manifestantes nas ruas, a Presidente fez passar como reivindicações do “povo” e das “mulheres” as exigências dos movimentos e grupos ligados ao seu partido.

    Notas.

    [1]. Câmara dos Deputados, 2010, p. 54 [http://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/comissoes/comissoes-permanentes/clp/documentos/copy_of_notas-taquigraficas/2010/vii-seminario-lgbt-parte2].

    [2] Cf. ALERJ. [http://www.alerj.rj.gov.br/escolha_corpo.asp?data=20090309]; [http://www.alerj.rj.gov.br/escolha_foto.asp?codigo=28608].

    [3]. Cf. Câmara dos Deputados [http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/SAUDE/416973-FEMINISTAS-QUEREM-QUE-MP-SOBRE-GESTANTES-PERCA-A-VALIDADE.html]; [http://www.cebes.org.br/internaEditoria.asp?idConteudo=2850&idSubCategoria=56].

    [4]. BRAGA, Bruno. “O feminismo das ‘vadias’” [http://b-braga.blogspot.com.br/2012/06/o-feminismo-das-vadias.html].

    [5]. BRAGA, Bruno. “Teste de sensibilidade” [http://b-braga.blogspot.com.br/2012/03/normal-0-21-false-false-false-pt-br-x_18.html].

    [6]. Cf. [http://www.spm.gov.br/acesso-a-informacao/servidores/contrato-temporario].

    [7]. Na manifestação promovida em Capacabana, a sigla do PSTU estava camuflada em uma bandeira do Movimento LGBT. Cf. [https://www.facebook.com/photo.php?fbid=225617904253496&set=a.190586071090013.1073741828.184797238335563&type=1&theater].

    (*) Obs. As fotos em preto e branco foram extraídas do Blog/Periódico
    Vero. Cf. [http://periodicovero.blogspot.com.br/2013/07/encenacao-polemica-na-marcha-das-vadias.html].

    ***

    DENÚNCIA. [Texto base – Graça Salgueiro]. Para denunciar a manifestação criminosa promovida pela Marcha das Vadias acesse:

    [http://www.prrj.mpf.mp.br/atendimento_Denuncia.html].

    MUNICÍPIO: Rio de Janeiro SEDE: Rio de Janeiro
    ASSUNTO: Outros

    Denúncia:

    “Art. 208 – Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso:
    Pena – detenção, de 1 (um) mês a 1 (um) ano, ou multa.”

    A “Marcha das Vadias” ocorreu durante a Jornada Mundial da Juventude e os atos foram realizados em frente aos fiéis que foram para a jornada.
    Muitas mulheres estão mascaradas para que possam cometer seus atos criminosos, no entanto, a marcha possui organizadores e a quantidade de imagens e crucifixos utilizados demonstra uma programação do ato, não apenas uma iniciativa de alguns participantes.

    Blog da “Marcha das Vadias no Rio de Janeiro” [http://marchadasvadiasrio.blogspot.com.br/].
    Contatos segundo este mesmo blog:
    Rogéria Peixinho – 21 79022683
    Danielle Miranda – 21 80848666
    Nataraj Trinta – 21 93350682
    Daniela Montper – 21 91379033
    (*) Contatos para a Imprensa: Indianara Siqueira 21 6981 18203;

    Fotos que comprovam os crimes:

    [http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/fotos/2013/07/fotos-marcha-das-vadias-no-rio-de-janeiro.html#F889925] – Utilização de imagens de santos católicos e crucifixos para serem profanadas durante a marcha.

    [http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/fotos/2013/07/fotos-marcha-das-vadias-no-rio-de-janeiro.html#F889940] – Mulher esfrega crucifixo em seu corpo desnudo.

    [http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/fotos/2013/07/fotos-marcha-das-vadias-no-rio-de-janeiro.html#F890007] – Imagens de santos católicos sendo quebradas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome